quarta, 21 de agosto de 2019

Sony Lacerda
Compartilhar:

Vontade dobrada

11 de julho de 2019
Os paraibanos foram pegos de surpresa com a audiência do prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues, com o presidente da República, Jair Bolsonaro, não pelo simples fato de ter acesso direto ao presidente, mas pelo pedido feito. A concessão da linha férrea para o Município de Campina Grande – passo fundamental para a implantação do VLT na cidade. Pois bem, um pedido igual foi feito pelo governador João Azevêdo, dias atrás, com o mesmo objetivo, o de instalar o VLT na Rainha da Borborema. Pode até não ter sido, mas pareceu apenas birra política para ver quem pode mais ou quem será o pai da criança.

Em defesa, Romero disse que esse é um pleito em que já vem batalhando há, pelo menos, três anos. E sendo assim, de pronto, o presidente da República acatou o pleito do prefeito e, por telefone, deu recomendação expressa ao ministro Tarcísio Gomes de Freitas, da Infraestrutura, para dar total prioridade à demanda apresentada.

Por enquanto o governador João Azevêdo não se pronunciou sobre o tema, mas aliados trataram logo de fazer uma sugestão ao prefeito de Campina Grande. O presidente da Assembleia Legislativa, Adriano Galdino, sugeriu que Romero aproveitasse a boa influência com o presidente Bolsonaro para conseguir recursos e investir em outras obras já que o Estado já tinha se comprometido em levar o VLT para Campina.

O governador tinha agendado junto ao Ministério da Infraestrutura para o dia 17 desse mês a assinatura de um termo entre o Governo da Paraíba, a concessionária e o próprio Ministério visando a transferência para o Estado da faixa de domínio da linha férrea.

Nessa queda de braço é verdade que ninguém sai perdendo porque Campina terá o VLT, mas a união entre Governo do Estado e Prefeitura de Campina Grande seria muito mais proveitosa até mesmo para outros projetos.

Articulado

O deputado federal Aguinaldo Ribeiro mostrou mais uma vez seu poder de articulação política dentro da Câmara dos Deputados. Ontem foi escolhido para relatar a Proposta de Emenda à Constituição (PEC 45/19) que trata sobre a Reforma Tributária. Aguinaldo acredita que até o final do ano essa proposta esteja pronta para ser votada em plenário por conta da harmonia entre Câmara e Senado, o que favorecerá o bom debate a respeito do tema.

Apoio em 2020

Parece que o deputado estadual Felipe Leitão já anda articulando sua possível candidatura a prefeito de João Pessoa. Ontem o deputado Tião Gomes disse que é tendência no G10 o apoio ao nome do colega nas eleições do próximo ano. Agora depende do Democratas decidir, primeiro, se vai ter candidato e, segundo, quem será.

Em Patos

O advogado Francisco de Assis Toscano de Brito Júnior, natural de João Pessoa, tomou posse, ontem, como procurador nunicipal de Patos. Ele foi aprovado no último concurso público de provas e títulos, ficando em segundo lugar. Esteve presente na solenidade o prefeito interino, Sales Junior, e autoridades municipais. Grande aquisição para o município.

Contas concluídas

O Tribunal de Contas do Estado da Paraíba (TCE) aprovou ontem, por unanimidade, as contas da Assembleia Legislativa referentes aos exercícios 2013 e 2014. O gestor era o então deputado Ricardo Marcelo, que com a decisão da Corte teve todas as suas contas aprovadas. Durante o julgamento, o presidente da Corte de Contas, conselheiro Arnóbio Viana, destacou o zelo e sempre cautela adotadas pelo então presidente Ricardo Marcelo na condução do Poder Legislativo.

Atualização

A Corregedoria-Geral de Justiça da Paraíba baixou o Provimento ontem determinando que os Cartórios de Registro Civil das Pessoas Naturais deverão remeter ao INSS, em até um dia útil, a relação dos nascimentos, natimortos, casamentos e óbitos lançados na serventia. As informações devem ser prestadas por meio do Sistema Nacional de Informações de Registro Civil, plataforma virtual de dados de todo o país.

Decisão

A Primeira Seção Especializada Cível do TJPB, por unanimidade, concedeu a segurança à viúva do ex-deputado estadual, Gustavo Amorim da Costa, para determinar a revisão da pensão recebida por ela, e assim, garantir a paridade com relação ao subsídio atualmente pago aos parlamentares com mandato na Assembleia Legislativa. O relator do Mandado de Segurança, foi o juiz convocado, José Guedes Cavalcanti Neto.

Relacionadas