sexta, 14 de agosto de 2020


Edinho Magalhães
Compartilhar:

Sobre Ministros do TCU e a delação de Sérgio Cabral

16 de julho de 2020
Um veterano jornalista que cobre o Congresso Nacional há décadas, comentava em Brasília sobre o perfil dos três ministros do TCU alvo de denúncias do ex-Governador do Rio, Sérgio Cabral, publicada na última quarta, 15, no site Antagonista, envolvendo Bruno Dantas, Luis Carreiro e Vital do Rêgo:

Bruno Dantas: “conhecido em Brasília como inimigo público número 1 de entidades de servidores públicos federais com passagem medíocre no CNJ, o Conselho Nacional de Justiça, que ele integrou por indicação de Renan Calheiros, seu padrinho político, que também o indicou ao TCU”.

Luis Carreiro: “era apenas o diligente Secretário da Mesa do Senado Federal que acompanhou por décadas o mandato do ex-senador José Sarney, sendo também premiado com uma indicação ao TCU, pelo ex-presidente da República”.

Vital do Rêgo: “Diferente dos anteriores, o paraibano Vital do Rêgo nunca foi vinculado a nenhum "padrinho político", pois à época de sua indicação ao TCU, ele já era senador da República eleito, com um histórico próprio e participação relevante nas principais discussões de temas nacionais”.

O editor da coluna acompanhou à época a indicação do então senador Vital ao TCU.

Ela surgiu fruto de um trabalho reconhecido pela ampla maioria de seus pares do Senado e sua chegada ao TCU foi saudada por unanimidade pelos integrantes da superior Corte de Contas.

À época, em depoimento à TV CORREIO durante o jantar de posse de Vital ao TCU, o ministro Benjamin Zingler, comentou: “a indicação é um prêmio à carreira de qualquer político, mas no caso do Vital o premiado foi o Tribunal com sua chegada”.