terça, 17 de setembro de 2019

Sony Lacerda
Compartilhar:

Sem querer, querendo!

20 de julho de 2019
Faltando um ano para o início das convenções municipais, começamos a observar movimentos feitos por alguns políticos interessados em disputar o posto de prefeito das duas principais cidades da Paraíba, João Pessoa e Campina Grande. Deputados estaduais e vereadores chegam a negar a pretenção, mas nos bastidores já foi dada a largada de conversas e entendimentos políticos que possam garantir a viabilidade do desejo interno.

Na Capital, nomes já foram destacados como possíveis candidatos a prefeito. No PSB, os mais lembrados são os do ex-governador Ricardo Coutinho e do deputado federal Gervásio Maia. O deputado estadual Wallber Virgolino pode entrar na disputa pelo Patriota e, quem sabe pelo MDB se depender do senador José Maranhão, caso se confirme a intenção de filiação. Dois outros deputados estaduais fazem parte da lista: Eduardo Carneiro pelo PRTB e Wilson Filho pelo PTB.

Na Câmara de João Pessoa surgem mais dois nomes. Um é o do vereador Milanez Neto, também do PTB e que conta com o aval do pai Fernando Milanez, e o de Helton Renê pelo PC do B. No PSDB se ventila os nomes de Ruy Carneiro - que já foi testado nas urnas, mas sem êxito - e Cícero Lucena (duas vezes prefeito da Capital) e no PV, partido comandado pelo prefeito Luciano Cartaxo, o nome mais lembrado é o do atual secretário de Desenvolvimento Social, Diego Tavares.

Na Rainha da Borborema, como já havia dito, alguns nomes já são lembrados, principalmente na base do prefeito Romero Rodrigues. Mas, a declaração de apoio irrestrito ao ex-senador Cássio Cunha Lima, feita na 98 FM, caso se coloque como candidato, caiu como um balde de água fria nas pretensões de nomes como Bruno Cunha Lima, Manoel Ludgério e Tovar Correia Lima, que já ensaiavam indicação. Terão que esperar. Mesmo “sem querer”, os trabalhos de pavimentação para 2020 continuam a todo vapor!

Preocupação

Os prefeitos paraibanos estão preocupados com os bloqueios de repasses pelo Governo Federal para funcionamento de atividades na educação básica. Segundo o presidente da Famup, George Coelho, esses bloqueios impactam diretamente em programas e ações em andamento nas escolas como a entrega de livros didáticos, transporte escolar, auxílio à formação de professores e incentivo à construção de creches. Os municípios não terão condições de mantê-los.

Tucanando

O deputado federal e presidente do Instituto Teotônio Vilela, centro de estudos e formação política do PSDB, Pedro Cunha Lima, está em Campo Grande (MS), onde participa de encontro com presidentes dos Diretórios Municipais do partido. O trabalho deve ser realizado também na Paraíba, como preparação para as eleições de 2020.

Vitória

O deputado estadual e vice-presidente da Frente Parlamentar Frente Parlamentar em Defesa dos Direitos das Pessoas com Autismo na ALPB, Tovar Correia Lima, comemorou a Lei 13.861/2019, sancionada na quinta-feira pelo presidente Jair Bolsonaro, e que torna obrigatória a inclusão de informações sobre pessoas com autismo no Censo 2020.

Hino Nacional

O prefeito Luciano Cartaxo sancionou a Lei 13.784 do vereador Damásio Franca, que obriga a execução do Hino Nacional pelo menos uma vez por mês nas escolas de ensino fundamental da rede municipal de ensino de João Pessoa. A sanção foi publicada foi publicada no Semanário Oficial do Município. A lei entra em vigor em 90 dias. O vereador disse que objetivo foi trazer de volta o momento cívico nas escolas, e resgatar o patriotismo, tão esquecidos pela juventude.

Projeto

Em agosto, o Projeto ‘Conhecendo o Judiciário’, idealizado e coordenado pelo desembargador Leandro dos Santos no Judiciário estadual, retornará. Na próxima semana, será realizada uma reunião para definir o calendário de visitas e de abertura das inscrições aos interessados em participar da iniciativa. O projeto teve início em 2013 e tem o objetivo de aproximar o Poder Judiciário da população.

Protestos

Somente em 2018 os cartórios de protesto da Paraíba recuperaram para o setor público, dívidas de mais de R$ 1 milhão. A informação repassadada a Coluna é do presidente do Instituto de Estudos de Protesto de Títulos do Brasil, Secção Paraíba, tabelião Germano Toscano de Brito. Das dívidas públicas que tramitaram através do IETPB-PB, cerca de 15% foram pagos com as intimações do protesto de títulos.

Relacionadas