quarta, 05 de agosto de 2020


Hermes de Luna
Compartilhar:

Refugiados, Covid, impeachment e empréstimos

20 de junho de 2020




Relator da MP, Efraim quer 5 anos para empresas quitarem empréstimos




Agora, como relator da MP que cria o Programa Emergencial de Acesso ao Crédito, o deputado federal Efraim Filho (DEM) já se reuniu com a equipe econômica do Governo Federal e revelou que estabelecerá em seu parecer que as empresas terão cinco anos para quitarem os empréstimos e carência de, ao menos, seis meses para começarem os pagamentos.
















Pela sinalização dada pela equipe econômica, o governo não vai se opor à proposta. LEIA MAIS AQUI.




****


Dia Mundial dos Refugiados e os venezuelanos pelas ruas da Capital




No Dia Mundial dos Refugiados é preciso uma reflexão sobre a chegada de venezuelanos, pelos meios não oficiais, ao estado. O poder público estima em pouco mais de 200, principalmente de uma etnia indígena, que passam a maior tempo próximos aos sinais de trânsito, pedindo ajuda financeira a quem passa. No mês passado, a Prefeitura de João Pessoa fez testagem de venezuelanos para a Covid 19. De 69 que aceitaram os testes, 59 testaram positivo para o novo coronavírus.




Esses refugiados vivem em situação de vulnerabilidade, mas tem os que chegam pelos meios meios legais, com apoio da ONU e assistidos pela Aldeias SOS. Atualmente, a na unidade da Paraíba são 56 acolhidos.




Em conjunto com o Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) desde 2018, a organização desenvolve, por meio de seu Programa de Emergência, o Brasil Sem Fronteiras. O projeto foca, principalmente, no acolhimento e assistência às famílias venezuelanas com crianças e adolescentes, famílias monoparentais - principalmente chefiadas por mulheres - e mulheres sozinhas. LEIA MAIS AQUI






****




A tragédia da Covid e a exatidão dos números: 198 mortes registradas em junho ocorreram em maio




Há uma discussão muito grande envolvendo os números de mortes pela Covid 19 na Paraíba. Um levantamento nos boletins oficiais da Secretaria Estadual de Saúde, desde o dia 1 de junho até hoje, releva que de todos os registros de óbitos pela doença nesses 19 dias, 160 ocorreram em maio. Nos primeiros 19 dias deste mês já foram 198 mortes.




A verdade é que os números são trágicos. Os boletins da Secretaria Estadual da Saúde confirmaram na Paraíba 358 mortes por Covid 19 no mês de junho. O número representa a soma dos óbitos no mês passado com os deste mês. LEIA MAIS AQUI








****




Base aliada mostra unidade e arquiva pedido de cassação da prefeita do Conde




Por maioria, a Câmara de Vereadores do Conde arquivaram o pedido de impeachment que tramita contra a prefeita Márcia Lucena (PSB) desde o mês passado. O pedido de cassação do mandato tinha como principal argumento a suposta participação da gestora, na condição de secretária estadual de Educação, "em organização criminosa" que teria atuado no governo, entre 2011 e 2018. O caso é investigado pelo Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público da Paraíba. A gestora nega as acusações.




A abertura da investigação foi aprovada por 5 votos a 4 na comissão processante. Na quinta-feira passada, a bancada do PSB na Câmara de Vereadores foi decisiva para arquivar o processo. O grupo havia se posicionado contra a proposta, por entender que as acusações contra a prefeita ainda estão sendo apuradas pelo Ministério Público e que não há condenação. Além disso, no entendimento desses vereadores, o processo, neste momento, traria prejuízos para a cidade em meio à pandemia do novo coronavírus.




A comissão que apresentou, em maio, parecer contrário ao processo é presidida pelo vereador Pinta Gurugi e teve como relator o Irmão Kaká. Os dois são do mesmo partido da prefeita.




Votaram pelo arquivamento do processo os vereadores, Naldo Cell (PSB), Luzimar  Nunes (PSB), Pinta Gurugi (PSB), Irmão Kaká (PSB) e Flávio Melo (PSB).




O vereador Naldo Cell, em seu voto, afirmou que a tentativa de impedir o governo de Márcia Lucena, principalmente neste momento de pandemia e quando se aproximam as eleições "é, na verdade, uma atitude totalmente contrária à vontade e aos interesses do povo de Conde".