terça, 22 de outubro de 2019

Roberto Cavalcanti
Compartilhar:

Reencontro

27 de junho de 2019
Todo reencontro traz surpresas: aquele colega que não via há 60 anos, aquela primeira escola que no meu imaginário era gigante... Como nosso cérebro é criativo!

Passados apenas sete anos, eis que fui induzido por boas mãos a retornar à pousada ‘Villas da Serra’, em Serra de São Bento, Rio Grande do Norte. Lá tinha estado, com toda a família, ao comemorar mais um dos meus aniversários festivos e criativos, em que todo ano agradeço a dádiva divina que é a vida.

Novamente um aniversário iria ser comemorado. Não o meu, mas o de minha mulher. Todos tínhamos registrado na memória as fantásticas imagens que colhemos e que, sem dúvida, iriam ser resgatadas.

Pé na estrada, e para lá nos dirigimos. Mesmo situada em estado vizinho, está apenas a 152 km de João Pessoa, acessada por rodovias federais e estaduais.

Chegamos de forma tranquila, em pouco mais de duas horas. Essa fronteira PB/RN tem uma beleza inigualável.

Serra de São Bento-RN fica muito próxima à Pedra da Boca, em Araruna-PB, e sua topografia é indescritível. Aliado a um microclima de altitude, o local nos transporta à Europa. Não é à toa que é apelidado de ‘Toscana Potiguar’.

A expectativa era grande. Como iríamos reencontrar aquela pousada de anos passados? Esplendorosa!

Basta saber que tudo lá é a materialização de um sonho de uma família empresarial potiguar, de resgatar uma antiga propriedade rural dos ancestrais, de nome ‘Floresta’, e transformá-la em um paraíso no coração nordestino.

Tudo foi pensado e planejado nos mínimos detalhes, desde a recuperação da vegetação nativa, o que proporcionou o seu batismo como ‘Floresta’.

Utilizando-se do esplendor da topografia, os equipamentos foram todos posicionados de forma estratégica. A pousada foi edificada em balanço sobre uma grande laje, de onde se descortina uma visão de toda a serra. É surpreendente sua beleza e ousadia na localização.

Se não bastassem essas escolhas, o piso das varandas dos apartamentos é de vidro, permitindo uma visão da laje e da floresta vizinha, algo inédito e surpreendente.

Em uma área plana, anexa à pousada, está implantado o centro de lazer, com quadras de tênis, academia, piscina e quadras poliesportivas. Logo em seguida, um condomínio residencial construído com o máximo esmero, utilizando-se da magnificência da serra e das surpreendentes vistas que proporciona.

Uma nova surpresa: estava disponível uma área, apenas sonhada na minha primeira estada, para a realização de eventos gastronômicos. Fica na famosa ‘Pedra do Sapo’, formação rochosa que, pela dádiva da natureza, se assemelha com um gigantesco batráquio.

O local foi profissionalmente projetado com uma infraestrutura impecável. Uma grande caverna natural abriga, sob a pedra, um inacreditável lounge. Tivemos uma noite impecável. Em um ambiente especial, em meio à natureza, foi servido um coquetel/jantar inesquecível.

O segmento de hotelaria/serviços é para poucos. Só funciona com profissionalismo e carinho pessoal. Os proprietários, mantendo a tradição dos velhos tempos da fazenda ‘Floresta’, dão um toque especial, o que a classifica como ‘Membro do Roteiro de Charme’.

A pousada estava madura e revigorada. Sua decoração tem o toque especial da sua proprietária, que é artista plástica. O bom gosto está presente 360° na nossa visão. Ao nosso dispor, uma variedade de programações, dentre elas as imperdíveis trilhas monitoradas por guias especializados. A sede do município está a apenas 1,5 km. A região explode com o turismo e percebe-se a construção de vários equipamentos focados nessa atividade.

A integração com a Paraíba é total. Para finalizar, relato um fato marcante para mim: desejava mostrar a um familiar o condomínio residencial que é separado por uma portaria específica. Lá chegando, me apresentei como hóspede da pousada e fui cumprimentado atenciosamente pelo porteiro, o sr. Salatiel.

Cumpridas as formalidades de segurança, o mesmo veio até o nosso carro e disse: “Dr. Roberto Cavalcanti, é um prazer cumprimentá-lo pessoalmente. Acompanho o Senhor desde o tempo em que estava no Senado e lhe admiro muito. Aqui assistimos a tudo do Sistema Correio. Sou fã de Samuka e assisto ao Correio Debate todos os dias.

Mando um abraço para Nilvan”.

Fiquei surpreso e emocionado. Naquele paraíso, no qual me sentia na ‘Toscana’, nada mais gratificante do que receber o reconhecimento pelo nosso trabalho. Programei-me para dar nota 10, porém vou ter que dar nota 1.000.

Relacionadas