quarta, 26 de junho de 2019

Lena Guimarães
Compartilhar:

Racha e emenda

21 de maio de 2019
O governador João Azevêdo negou a existência de um racha na sua base aliada na Assembleia Legislativa. Alguns deputados também já vinham mantendo esse discurso de que a paz estava reinando. Mas a rebeldia de alguns deles revelava quase que diariamente que não era bem assim que o bonde andava.

Entre os exemplos que ainda estão na memória dos apreciadores da picuinha política estão as várias reclamações dos deputados Nabor Wanderley e Pollyanna Dutra. O primeiro chegou a subir na tribuna para estampar os problemas enfrentados no setor da Saúde na Paraíba, inclusive com salários de profissionais atrasados, falta de assistência médica e desaparelhamento da área.

Pollyanna já foi bem mais direta e jogou na cara da base governista que estava sendo podada, excluída mesmo de tudo que acontecia na Casa. Ausente de todas as comissões parlamentares de inquérito formadas no Legislativo Estadual, chegou a disparar uma frase que ecoou na Granja Santana: “vou ter que esperar uma brecha para deixar o partido”.

Vendo o quanto os ânimos estavam acirrados e as relações estremecidas, João então partiu para a diplomacia, ao menos aparente, já que os bastidores, só eles mesmos é que são conhecedores. O governador decidiu jogar água na fogueira da oposição, que estava se animando com a briga e a possibilidade da explosão de um racha, e convocou todos para reuniões a portas fechadas.

Primeiro foi com o chamado G10 – aqueles que se dizem independentes na Assembleia. Conversou com todos e afinou o discurso. Ontem foi a vez de chamar na grande os aliados partidários. Deputados do PSB foram recebidos por ele.

Na verdade, apesar do discurso negativo para racha fica claro que foi preciso estancar a sangria. O que foi prometido, o que foi negociado, só os envolvidos sabem, e obviamente não revelarão. (Por Nice Almeida)

TORPEDO

“É um país maravilhoso que tem tudo para dar certo, mas o grande problema é a nossa classe política. É ‘nós’ [Wilson] Witzel, ‘é nós’ Crivella, sou eu Jair Bolsonaro, é o Parlamento em grande parte, é a Câmara Municipal, a Assembleia Legislativa. Nós temos que mudar isso.”

Do presidente Jair Bolsonaro, ao pedir apoio do governador e do prefeito do Rio, durante discurso na Federação das Indústrias do Rio de Janeiro.

Finalmente

Eleito com 73,07% dos votos válidos, em 17 de março, Vitor Hugo foi empossado ontem no cargo efetivo de prefeito de Cabedelo, ontem. Ele estava na interinidade desde 4 de abril do ano passado. Quer dar continuidade ao projeto de recuperação administrativo-financeira da cidade.

Pra frente

Logo após a diplomação como eleito, antes da posse efetiva, Vitor Hugo admitiu que vá tentar a reeleição ao cargo. Para isso, pretende realizar os projetos apresentados e escolhidos pelos eleitores de Cabedelo.

Unidade

O prefeito Luciano Cartaxo, que preside o PV na Paraíba, reuniu sua base na Câmara Municipal de João Pessoa, ontem. O propósito foi de reforçar a atuação dos parlamentares na aprovação dos projetos da gestão e evitar defecções na base.

Agradecimento

O governador João Azevêdo e o deputado estadual Wilson Filho receberão, no sábado, o título de ‘Cidadão Soledadense’. A outorga da honraria foi aprovada pela Câmara Soledade, na sessão de ontem.

Luto

Campina Grande e São José de Piranhas perderam ontem um de seus principais personagens - o empresário Epitácio Roberto Dantas (conhecido como Epitácio do Açúcar). Seu falecimento ocorreu um dia após o aniversário do filho, o deputado federal Wellington Roberto (PR).

Saúde

A Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa iniciou pelo Sertão as visitas a unidades que prestam atendimento aos paraibanos. Os deputados foram acompanhados pelo secretário da Pasta, Geraldo Medeiros.

Passou mal

O prefeito de Bayeux, Berg Lima, não compareceu à audiência na qual seria ouvido pelo desembargador João Benedito da Silva, na tarde de ontem, no TJ da Paraíba. Ele é acusado do recebimento de propina no processo.

ZIGUE-ZAGUE

< O presidente do TJ da Paraíba, desembargador Márcio Murilo da Cunha, recebeu os juizes de Conceição e de Itaporanga. Na pauta, demandas de segurança e servidores. A solução depende do quadro financeiro do Judiciário.

> O tribunal Regional do trabalho inaugura nos próximos dias 3 e 4 de junho as quatro Varas transferidas de Itabaiana, Mamanguape, Picuí e Cajazeiras, para as cidades de João Pessoa, Santa Rita e Campina Grande.

Relacionadas