sábado, 20 de abril de 2019

Lena Guimarães
Compartilhar:

Quem será o 2º nome para a ALPB?

19 de janeiro de 2019
O governador João Azevêdo confirmou ontem o que todos já sabiam. O nome para presidir a Assembleia Legislativa, pelo menos no primeiro biênio, é do deputado estadual Adriano Galdino. Como o próprio João disse, com uma base de 22 parlamentares na bancada, do total de 36, não era possível que não se chegasse a um nome de consenso. Seria muita desorganização caso isso não acontecesse.

O tom de voz de João Azevêdo demonstrou a segurança de quem já conhecia a reação dos aliados que terão vaga no Poder Legislativo. Desde o primeiro mandato de Ricardo Coutinho que a bancada governista tem, na maioria das situações, tem sido bastante equilibrada e não seria diferente agora.

Bem, Adriano já foi presidente da Casa, também no primeiro biênio, no segundo mandato de Ricardo. À época, iniciou sua gestão promovendo uma série de medidas para cortar gastos. Uma delas foi reduzir o expediente. A outra foi o corte de 60% das chamadas Verbas Indenizatórias de Assessorias Parlamentar (VIAP), que era de R$ 40 mil e caiu para R$ 25 mil.

Ainda é uma incógnita se ele tomará as mesmas providências, já que a tão alardeada crise ainda predomina os discursos políticos. Obviamente, o caixa da Assembleia está aberto às análises necessárias, pois o atual presidente Gervásio Maia é aliado de Adriano e sempre tem mantido a transparência durante os dois anos em que conduziu a Casa.

O grande mistério agora está em torno do nome que sucederá Galdino e assumirá o comando da Assembleia Legislativa nos dois anos posteriores - 2021 e 2022. Sem Gervásio para manter o dueto, João Azevêdo deverá escalar alguém de muita confiança sua para isso. Ele garante que até a semana que vem essa definição sairá, logo depois de realizar novas reuniões com os deputados que compõem a sua base.

TORPEDO

É uma tendência para que o nome dele seja confirmado no primeiro biênio, mas ainda será objeto de discussões inclusive com o próprio Adriano Galdino. Quem tem uma base com 22 deputados tem que apenas sentar para apresentar um nome em comum acordo.

Do governador João Azevêdo sobre a eleição para Mesa Diretora da Assembleia Legislativa.

PV decidido. O Partido Verde anunciou ontem seu apoio à pré-candidatura de Eneide Régis (PSD), nas eleições complementares do município de Cabedelo. O vice-presidente da legenda, sargento Dênis Soares, esteve com Eneide para selar a aliança.

Grata. Eneide Régis agradeceu o apoio do PV dizendo que é ficha limpa e vai honrar isso. Quem também está com a pré-candidata a prefeita é o PSDB que indicou o vice para a chapa a ser formada. As eleições são em 17 de março.

Agora é ele. O vice-prefeito de João Pessoa, Manoel Junior, assumiu oficialmente o comando do Solidariedade (SD) na Paraíba. A decisão da Executiva Nacional da legenda foi assinada pelo presidente Paulinho da Força na última terça-feira.

Mão na massa. Manoel Jr. disse que a meta é implantar diretórios em todas as 223 cidades do estado, e, assim, preparar o partido para as eleições municipais de 2020, com o lançamento do maior número possível de candidatos.

Que mamata! O Tribunal de Contas descobriu que 34.718 servidores acumulam cargos na Paraíba e também no Rio Grande do Norte e Pernambuco. Há casos em que o funcionário possui sete vínculos, e outro com remuneração de R$ 75 mil.

Ranking. O campeão em acumulação de cargos possui sete vínculos. Já o segundo tem seis vínculos, com uma remuneração de R$ 75.446,73. O total da remuneração desse servidor é quase o dobro do teto constitucional do STF, que é de R$ 39 mil.

A velha ponte. O advogado e ex-deputado federal Chico Evangelista fez cobranças aos gestores públicos e lamentou que a ponte ligando Cabedelo-Lucena, não saiu do papel. A obra foi pensada no governo Cássio, mas não teve continuidade.

ZIGUE-ZAGUE

O prefeito de São Mamede, Jefferson Morais (DEM), fez uma grave revelação ontem. Ele disse que está sendo alvo de ameaças de morte. Em uma das mensagens deixadas para o gestor, o agressor fala em luto na cidade pela morte do prefeito.

Jefferson prestou queixa à polícia e é preciso que se fique atento ao caso para que a tragédia não venha realmente a ser concretizada. A Paraíba tem uma ótima equipe de investigação na Polícia Civil e, com certeza, isso será desvendado.

Relacionadas