sexta, 19 de abril de 2019

Lena Guimarães
Compartilhar:

Qual a pegadinha?

12 de abril de 2019
O prefeito Luciano Cartaxo autorizou o início das obras do Parque Ecológico Sanhauá, para revitalização da área onde nasceu a “Cidade Real de Nossa Senhora das Neves”, a terceira Capital mais antiga do Brasil, que em 1930 foi denominada de João Pessoa. Logo seus adversários se mobilizaram para questionar a iniciativa.

O projeto faz parte de um mais amplo, o da recuperação do Centro Histórico, transformando-o em polo turístico, econômico e cultural, como fizeram outras cidades, sendo exemplo o Pelourinho, em Salvador, Bahia.

A secretária Daniella Bandeira (Planejamento) explica que a etapa atual - o Parque Ecológico Sanhauá – prevê a proteção e recomposição vegetal da área que atualmente recebe todo tipo de dejetos, recuperação de calçadas e praças, drenagem, construção de um mirante e de uma passarela elevada de madeira para que os visitantes possam contemplar o rio e conhecer as espécies do mangue.

Vai permitir acesso ao Porto do Capim, estrutura com mais de 100 anos que pouco conhecem pelos obstáculos no entorno, e receberá iluminação a Led, que significa mais segurança à noite. Tudo aprovado por órgãos responsáveis pelo patrimônio histórico e meio ambiente.

Por que a mobilização? Porque 109 famílias que lá moram, gostariam de ficar no local, mas como a lei impede construções em área de preservação ambiental, a Prefeitura está oferecendo apartamentos no residencial Saturnino de Brito, a 1,5 km de distância.

Diante das críticas, a indagação natural: qual a pegadinha na proposta da Prefeitura? As famílias que atualmente moram em casas insalubres, em área de alto risco, não querem sair? Os apartamentos são temporários? Ou será que vão pagar uma prestação cara?

A secretária Socorro Gadelha (Habitação) responde que os apartamentos estarão prontos em 90 dias. Que as 109 famílias não vão pagar um Real por eles. Terão a posse e a propriedade dos imóveis. O conjunto, que abrigará 410 famílias, tem áreas de lazer, toda infraestrutura, sendo atendido por escola e posto de saúde. E tudo isso a uma saudável caminhada de onde estavam.

Se não tem pegadinha, tem política. E ainda faltam 18 meses para as eleições que decidirão os novos prefeito e vereadores.

TORPEDO

"Estou tentando convencê-lo a ser nosso candidato a prefeito aqui na cidade. Não vim aqui somente empossá-lo como presidente do Solidariedade, mas também para convencê-lo a ser nosso candidato", do deputado Paulinho da Força, presidente nacional do Solidariedade, defendendo que Manoel Júnior seja candidato a prefeito da Capital.

Os alvos. Primeiro as vereadoras Eliza Virgínia e Helena Holanda tiveram seus telefones clonados e criminosos pediram dinheiro a seus contatos. Ontem, o deputado Pedro Cunha Lima denunciou outra tentativa de golpe.

Os alvos 2. Como nos casos das vereadoras, os golpistas usaram o WhatsApp para tentar comprar um carro em nome de Pedro. O filho do vendedor desconfiou, entrou em contato com sua assessoria e evitou o prejuízo.

O apelo... Como os deputados continuam faltando e inviabilizando sessões na Assembleia, o deputado Raniery Paulino fez, em tom de ironia, apelo ao governador para que mude horário dos eventos do Executivo.

... de Raniery. “Acho que tem muito parlamentar que quer está perto, que quer tocar no governador, depois despachar. É normal. Tem gente que quer está gravitando em torno do governo e as vezes pode prejudicar as sessões”.

Em pauta. O Conselho da Magistratura do TJPB vai se reunir hoje. Na pauta, 30 processos, entre eles, os referentes as contas de entidades que receberam recursos oriundos de prestação pecuniária (penas alternativas).

Nacional . O paraibano Rodrigo Toscano de Brito foi nomeado, ontem, presidente da Comissão Nacional de Direito Imobiliário da OAB, em portaria de Felipe Santa Cruz, presidente do Conselho Federal da Ordem.

ZIGUE-ZAGUE

<Nos 100 dias do governo, Bolsonaro lançou pacote com 18 medidas, entre elas revogação de 250 decretos (desburocratização), extinção de cargos e combate a corrupção.

>O Presidente também assinou projetos de lei da autonomia do Banco Central, do ensino domiciliar e do Bolsa Atleta, e a regulamentação da Lei Brasileira de Inclusão.

Relacionadas