sexta, 19 de abril de 2019

Sony Lacerda
Compartilhar:

Perdemos o controle

16 de março de 2019
Em meio a um mundo envolto no caos da violência desmedida, em que seres humanos matam uns aos outros como em um jogo, fazendo da tecnologia arma ou cúmplice, é salutar perguntar em que momento nos perdemos enquanto sociedade, família. Estamos diante de vidas governadas pela opressão, ira, inveja, ou simplementes o ódio do ódio ou em nome do ódio que na maioria das vezes não se sabe de quê. À base do “eu quero, eu posso, dane-se quem estiver na frente”, as pessoas não conversam, trafegam na linha tênue entre a razão e a emoção. Nesses últimos casos que temos assistidos, a emoção, no sentido de prazer mesmo, tem aparecido mais. Pior, as pessoas têm escolhido quem deve morrer ou viver. Eu sou de um tempo em que as crianças maiores protegiam as menores, em que professores tinham certo poder de pai e mãe, em relação a mostrar valores, o que é certo e o que é errado, do tempo em que era possível pensar no outro.

Lendo sobre o ataque à escola de Suzano, uma informação me chama a atenção: o atirador foi recebido com um sorriso da educadora por lembrar que o mesmo havia sido aluno da escola. O sorriso não foi suficiente para evitar as balas e a morte. Óbvio, que o jovem não se deixaria levar pelo sorriso já em um estado de cegueira mental com instintos pré-estabelicidades e um plano formatado. Antigamente, minha mãe dizia: “você tem tudo, então não pode tirar nota baixa”. O tudo era roupa nova, um quarto só meu, com uma escrivaninha de dar inveja, e sem ter nenhum trabalho em casa, apenas estudava. Hoje, o tudo se transformou em roupa de marca, celular da moda, vídeos games caros - muitas vezes os pais nem sabem o teor dos jogos - carro e liberdade para sair sem seque dizer para onde. Isso, aliado ao fato da total falta de respeito. Basta um domingo no shopping e observar as relações. Em algum momento, perdemos o controle, e precisamos debaixo de pau e pedra retomá-lo já que a situação está a um passo do abismo.

Compromisso

O governador João Azevêdo assinou, em reunião ontem na sede do Ministério Público Federal, um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) tratando sobre as novas regras para regulamentar os procedimentos de qualificação, seleção e contratação de Organizações Sociais para fins de gestão pactuada. A atitude do governador apenas mostra a conduta de transparência e compromisso com a coisa pública à frente do Executivo.

Proximidade

O deputado estadual Tovar Correia Lima está cada dia mais próximo do prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues. Os tucanos estiveram em Brasília participando de reuniões importantes com ministros e também o presidente Jair Bolsonaro. Diante disso, será que o prefeito da Rainha da Borborema já escolheu o seu sucessor?

Políticas públicas

A deputada estadual Pollyanna Dutra defende a descentralização das ações de educação e a construção de mais escolas técnicas no Sertão. Segundo ela, é preciso garantir políticas públicas educacionais as crianças e jovens do interior, assim como são garantidos nos grandes centros. Quando prefeita de Pombal teve a gestão reconhecida pela ONU.

Ponto estratégico

O deputado federal Pedro Cunha Lima agora ocupa um ponto estratégico na defesa das lutas do seu mandato, a principal delas a educação. Como presidente da Comissão de Educação da Câmara, o paraibano deve colocar em pauta temas como a educação na primeira infância e a PEC da Nova Educação que estabelece que o professor é a categoria responsável pela educação e que seu subsídio máximo seja considerado limite superior dos agentes administrativos.

Jurídico

Os alunos do Ensino Médio do Colégio Estadual da Prata, em Campina Grande vão ter a oportunidade de conhecer na segunda-feira, o Projeto ‘Conhecendo o Judiciário’, sob a coordenação do desembargador Leandro dos Santos. “Idealizei voltar à ideia das viagens, ou seja, interiorizar o projeto, saindo um pouco do âmbito do TJ. E aí nós entramos em contato com instituições de ensino que mostraram interesse em recebê-lo”.

Patrulha em pauta

O Jornal da Justiça, 1ª edição, da TV Justiça do STF, veiculou matéria produzida pela Assessoria de Comunicação do TJPB sobre o Termo de Cooperação firmado com o Governo do Estado, para a criação da Patrulha Maria da Penha. O objetivo é o enfrentamento à violência contra a mulher na Paraíba. A nova ferramenta permitirá um monitoramento por parte das Polícias às mulheres vítimas de violência.

Relacionadas