segunda, 17 de junho de 2019

Edinho Magalhães
Compartilhar:

Pedro: Fim dos Privilégios

01 de março de 2019
Em discurso na tribuna da Câmara na tarde da última quarta-feira o deputado Pedro Cunha Lima fez um apelo ao Governo Federal para que envie ao Congresso Nacional, um projeto para acabar com privilégios e regalias das autoridades nos Três Poderes da República. “O Governo já mandou um pacote ‘Anti-Crime’; mandou a Reforma da Previdência e eu aguardo o momento em que o Governo possa mandar o texto de uma ‘PEC dos Penduricalhos’, um Pacote Anti Privilégios”.

Ele defende, por exemplo, que quem ganha acima de 15 salários mínimos não deva mais receber auxílio alimentação, “pois auxílio alimentação a gente dá para quem não tem o que comer”. Pedro se referia à notícia de que o Tribunal de Justiça de Pernambuco teria autorizado pagamento de auxílio alimentação retroativo desde 2011, gerando mais uma conta milionária ao contribuinte.

Ele estende seu entendimento a necessidade de “um novo tempo que se inicia em nosso país porque a sociedade não tolera mais bancar e pagar tantas regalias como auxílio mudança, auxílio moradia, auxílio alimentação, planos de saúde ilimitados e estendidos aos familiares”. A bandeira de Pedro tem encontrado eco nas vozes dos novos parlamentares que foram eleitos na esteira dos protestos da sociedade. Avança Brasil.

Protesto Internacional

A imagem do Secretário Nacional de Direitos Humanos do Governo Federal, paraibano Sérgio Queiroz, se retirando de auditório da ONU em Nova York, última quarta, correu o mundo. Ele estava com a delegação brasileira no Conselho Mundial de Direitos Humanos quando representantes de 20 países se retiraram em protesto ao Governo da Venezuela.

Liderança de Ruy

O deputado Ruy Carneiro foi um dos coordenadores de reunião da bancada do PSDB na Câmara, da qual é vice-líder, com o Secretário Nacional da Reforma da Previdência, Rogério Marinho, na última terça-feira. “O Brasil tem consciência da necessidade da Reforma, mas ela precisa ser equilibrada, combater privilégios e aprimorar o Pacto Federativo”.

Aguinaldo Sem Espaço

O ambiente ficou pequeno para o deputado Aguinaldo Ribeiro nessa Legislatura. Acostumado a ter salas de reuniões na estrutura da Câmara, quando era líder partidário e do Governo, agora voltou a se reunir em seu gabinete 735 no Anexo IV. Esta semana teve que dividir reunião com prefeitos paraibanos em duas etapas. “Pra caber todo mundo”.

Hugo na Marcha

Durante encontro na Confederação Nacional dos Municípios, esta semana em Brasília, o deputado Hugo Motta voltou a defender o aumento de 1% no repasse do Fundo de Participação aos Municípios, destacando um novo Pacto Federativo diante da crise financeira das cidades. Hugo será um dos palestrantes da próxima Marcha dos Prefeitos a Brasília, de 8 a 11 de abril.

Em favor dos Enfermeiros

A deputada Edna Henrique abraçou a causa dos enfermeiros de todo o Brasil. Esta semana ela apresentou requerimento à Presidência da Câmara solicitando a inclusão do PL 2295/2000 na pauta de votações. Trata-se da jornada de trabalho de 30hs semanal para dos enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem.

Frente Parlamentar

Já o deputado Efraim Filho abraçou novamente a causa do Comércio. Como presidente da Frente Parlamentar em defesa do Comércio, Serviços e Empreendedorismo, promoveu café da manhã na última terça em torno de deputados, senadores e dirigentes de associações nacionais. A idéia é fortalecer o setor para geração de emprego e renda.

Nogueira Com Moro

O presidente da Atricon, Associação Nacional dos Tribunais de Contas, paraibano Fábio Nogueira, esteve em audiência com o Ministro da Justiça, Sérgio Moro, esta semana em Brasília. Na pauta, a integração e cooperação entre instituições para pautas governamentais, inclusive no fortalecimento de ações contra a corrupção e improbidade administrativa.

Banco de Dados

Fábio Nogueira explicou que sua gestão busca fortalecer uma pauta legislativa no Congresso Nacional em torno da PEC 22/17, de autoria do ex-senador Cássio Cunha Lima, por exemplo, que cria o Conselho Nacional dos Tribunais de Contas e a Lei Nacional Processual de Controle Externo (Uniformização de Jurisprudência), que “são fundamentais para aprimorar o sistema dos Tribunais de Contas que tem o maior banco de dados da administração pública”.

Relacionadas