sábado, 20 de outubro de 2018

Lena Guimarães
Compartilhar:

Os sem padrinhos

19 de setembro de 2018
Ex-governador da Paraíba e ex-deputado federal, Roberto Paulino (MDB) diz que é o senador de José Maranhão, que já foi governador da Paraíba e novamente é favorito para o Palácio da Redenção.

Embora ex-prefeito de Campina Grande e deputado federal, Veneziano Vital do Rêgo (PSB), faz questão de destacar que é o candidato escolhido pelo governador Ricardo Coutinho.

O deputado federal Luiz Couto (PT) aponta não apenas um, mas dois padrinhos: o governador e o ex-presidente Lula, que apesar de preso, tem influência sobre o eleitorado, pelas obras que realizou no Nordeste.

Com tantos poderosos da política apadrinhando seus concorrentes, a deputada Daniella Ribeiro transformou o fato de não ter patrono como um diferencial na disputa para o Senado, assim como o de ser a única mulher concorrendo ao cargo neste 2018.

Ser candidata a senadora é um desafio gigante não só pelos concorrentes, mas também porque a Paraíba nunca elegeu uma representante do gênero para a mais alta casa do Congresso. E Daniella tinha uma reeleição garantida para a Assembleia Legislativa.

Ela não é a única sem patrono. Tem o senador Cássio Cunha Lima, mas ele próprio está na categoria de padrinho, pelo relacionamento que cultivou com os eleitores nas muitas eleições que disputou e pelos cargos que ocupou – prefeito de Campina Grande três vezes, deputado federal, governador duas vezes e senador, para citar apenas os elegíveis.

Igualmente sem padrinho só Nelson Júnior e Nivaldo Mangueira, do PSOL, partido que ainda não conquistou força eleitoral na Paraíba, mas que tem deixado sua marca nas eleições pela independência que demonstra, colocando em pauta temas que muitos gostariam de deixar fora dos holofotes.

A força da palavra também tem sido a arma de Daniella para reduzir a influência dos padrinhos na decisão de voto dos eleitores. Nos discursos ela diz que ao contrário dos concorrentes, quer ser escolhida pelos seus valores e suas propostas para o Brasil e para a Paraíba.

Seu pedido de voto: “Sou mulher, sou mãe, sou professora, sou deputada e não tenho padrinho político. Quero ser a senadora de todos os paraibanos”. Um contraponto forte. Expõe os “dependentes” de patronos.

Torpedo

"Meu maior propósito é servir à Paraíba. Dados como o desta pesquisa nos dão ainda mais ânimo para continuar trabalhando e apresentando as nossas novas ideias para combater tantos problemas que preocupam os paraibanos." (De José Maranhão (MDB), sobre a pesquisa Método, pela qual lidera a disputa para o governo com 29,8%, contra 23,5% de João Azevedo.)

Quem vai?

Pela pesquisa Método, com margem de erro de 3%, João Azevedo (23,5%) e Lucélio Cartaxo (18,9%) estão disputando uma vaga no 2° turno contra Maranhão. Teremos guerra de “padrinhos” na reta final?

Liderança

O resultado das eleições vai mostrar a força de Luciano Cartaxo em João Pessoa e a de Romero Rodrigues em Campina, contra a influência do governador Ricardo Coutinho nas regiões onde as cidades estão inseridas.

Impacto

Nas duas cidades, os resultados vão determinar a largada para as eleições municipais de 2020. Na Capital, é prevista uma candidatura do atual governador Ricardo Coutinho, que vai ficar sem mandato em 103 dias.

Dois pesos...

O deputado Bruno Cunha Lima (SD) vê incoerência em políticos que criticam o governo Temer por ter congelado investimentos em Saúde e Educação, mas que silenciam em relação ao governo Ricardo e a UEPB.

... duas medidas

“Ricardo Coutinho está impondo amputação das pernas da instituição”, lamentou Bruno. “Se mantiverem os cortes, vou trazer aqui uma lista para que os deputados escolham o Campus que vai fechar as portas”.

Mudanças

Com a proximidade do fim do mandato do desembargador Romero Marcelo, o TJPB escolhe, hoje, o novo ocupante para a vaga no TRE. O desembargador Carlos Beltrão é quem assumirá a Presidência da Corte.

Zigue e Zague

A presidente do TSE, Rosa Weber defendeu a confiabilidade das urnas eletrônicas. Disse que em 22 anos de utilização nenhum caso de fraude foi comprovado.

O Hospital Albert Einstein divulgou novo boletim sobre a saúde de Jair Bolsonaro. Assegura que apresenta “evolução clínica satisfatória” e que não tem febre.

Relacionadas