sexta, 18 de outubro de 2019

Lena Guimarães
Compartilhar:

O Presidente quer saber

13 de abril de 2019
Ao admitir que ligou para a Petrobrás para exigir explicações para reajuste de 5,7% no preço do diesel, e que pediu que fosse adiado, o presidente Jair Bolsonaro provocou queda nas ações da empresa, mas também criou uma oportunidade para os brasileiros entenderem porque os combustíveis estão tão caros.

Em Macapá, onde inaugurou novo aeroporto, Bolsonaro garantiu que o adiamento não significa que mudou de opinião e que será intervencionista, mas que precisa de explicações para aumentos acima da inflação, que pesam nos bolsos de todos, mas no caso do diesel, especialmente dos caminhoneiros, que já ameaçaram greve.

Bolsonaro disse que convocou dirigentes da estatal para reunião terça-feira, em Brasília, quando vai querer respostas para perguntas que todo consumidor gostaria de fazer para entender essa política de preços: quanto custa um barril de petróleo que é retirado no Brasil e quanto custa em outros países? Onde é refinado, a que preço, e a que custo?

Ele deixou claro que pretende mostrar para a população “que sempre critica o governo federal”, que o “ICMS é altíssimo”, e que os governadores também devem ser cobrados, “não só o Presidente da República”.

Ele tem razão. Segundo a Fecombustíveis, o peso médio dos impostos sobre diesel foi de 24% em fevereiro, no Brasil, enquanto na gasolina chegou a 45%, e no etanol, 27%.

A Paraíba cobra 27% de ICMS sobre a gasolina e mais 2% do Funcep, ou seja, 29% do preço que pagamos na bomba vai para o Estado, enquanto a União cobra mais 16% de CIDE, PIS/PASEP e Cofins.

O custo dos combustíveis encarece o frete, que é repassado para os preços dos produtos, que impacta o consumo, que influi na qualidade de vida dos sacrificados cidadãos. Mas poucos gestores admitem discutir os impostos.

A “interferência” do Presidente foi criticada pelos que estão preocupados com os preços das ações. Ele, deu seu recado: “Não sou economista, já falei que não entendia de economia. Quem entendia de economia afundou o Brasil, tá certo?”.

Exigir explicações não é erro, é respeito aos cidadãos.

TORPEDO

"Sentamos, conversamos e chegamos a esse acordo que será muito benéfico aos moradores e comerciantes do perímetro urbano. O Dnit vai adequar o projeto à nossa proposta e não será mais preciso a desapropriação das casas e estabelecimentos ali construídos."

Do prefeito Vitor Hugo, sobre acordo que fez com Dnit, responsável pela triplicação da BR-230, para preservação de imóveis no centro de Cabedelo.

Relator

Líder da Maioria na Câmara (bloco formado por 13 partidos e 56% dos deputados da Casa), o paraibano Aguinaldo Ribeiro (PP) foi anunciado relator da PEC do Orçamento Impositivo, modificada pelo Senado.

Prioridade

Pela proposta, o Executivo fica obrigado a liberar verbas de emendas de bancada no orçamento da União. A PEC deve ser votada antes da reforma da Previdência, na próxima semana, conforme admite Aguinaldo Ribeiro.

Disputa no...

Este domingo será de eleição no Sindifisco. Concorre à reeleição o atual dirigente, Manoel Isidro, pela chapa “Fisco Valorizado, Estado desenvolvido”, e pela oposição, Marcelo Lira, da “Mudança e Unidade”.

... Sindifisco

O Sindifisco representa categoria considerada organizada e poderosa, com significativa participação na luta dos servidores estaduais. Ontem à noite os candidatos participaram de debate. Isidro é considerado favorito.

Sem pressa

Bruno Cunha Lima, atual chefe de Gabinete de Campina Grande, disse já ter convites de quatro partidos para filiação, mas só vai decidir depois que ouvir aliados. Ele é opção para sucessor do prefeito Romero Rodrigues.

Aprovado

Coordenados pelo juiz Hemerson Nogueira, da 1ª Vara de Cajazeiras, 99 reeducandos estão tendo direito à remição da pena por meio de projetos voltados à leitura e música. Desde junho já foram lidas 198 obras.

ZIGUE-ZAGUE

< A Secretaria Estadual de Saúde coordena o que chamou de “Dia D contra a Malária”, no Conde, onde três casos da perigosa doença já foram registrados.

> Técnicos vão ensinar sobre prevenção, a exemplo de uso de repelentes, e vão recomendar que se evite área de matas e rios, preferidas pelo mosquito transmissor.

 

Relacionadas