segunda, 11 de novembro de 2019

Sony Lacerda
Compartilhar:

O exemplo do PSB

31 de outubro de 2019
O livro ‘Continuidade e descontinuidade em organizações públicas: um paradoxo democrático’, de autoria de Peter Spink, traz que expressão ‘continuidade e descontinuidade administrativa’ refere-se aos “dilemas, práticas e contradições que surgem na Administração Pública, Direta e Indireta, a cada mudança de governo e a cada troca de dirigentes”. Pois bem, ouvimos muito o discurso de continuidade administrativa proferido nas eleições de 2028 na Paraíba, quando o ex-governador Ricardo Coutinho abdicou de disputar uma cadeira no Senado para permanecer no comando administrativo do Estado, com um único objetivo: garantir a vitória do seu então candidato a governador, João Azevêdo, e a continuidade do “projeto”.

O discurso foi tão repetido que a maioria dos paraibanos entendeu que, para ter a manutenção de um governo bem avaliado política e administrativamente, teriam que votar em João. O resultado disso, acompanhando agora com o rompimento e o esfacelamento do PSB paraibano.

Será que estamos prestes a rever esse filme nas eleições do próximo ano? vamos ter que esperar para ver. Mas o discurso de continuidade administrativa, já começa a ser proferido pelo prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo. Ontem, o gestor disse que o nome escolhido para a disputa, que vai sair dos quadros do PV, terá o desafio de dar continuidade aos trabalhos desenvolvidos na cidade nos dois últimos mandatos.

Segundo Cartaxo, existem bons quadros na gestão municipal capazes de ocupar o posto de prefeito. Um discurso muito parecido com o de Ricardo Coutinho em 2018 quando escolheu João Azevêdo para a disputa. É claro que continuidade de gestão é importante, mas é bom lembrar que quem for eleito, vai querer colocar suas digitais na administração.

Retomada do crescimento

O deputado federal e relator da Reforma Tributária na Câmara, Aguinaldo Ribeiro (Progressistas), esteve em São Paulo no evento Brasil de Ideias, promovido pelo Grupo Voto que discutiu o tema Meio Ambiente e os Desafios de uma Reforma Tributária Justa e Eficiente. Ao lado do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, o paraibano reafirmou a urgência da aprovação da Reforma Tributária para que o País possa evoluir e retomar o crescimento econômico.

Educação

Depois de Patos, a Capital vai ser o próximo destino de uma inspeção da Comissão de Educação, Cultura e Desportos da Assembleia Legislativa. A proposta para visitas a escolas de João Pessoa, aprovada ontem na Comissão, foi da deputada Estela Bezerra. A análise das visitas serão enviadas a Secretaria da Educação para providências.

CPI na fila

Os deputados Felipe Leitão e Cabo Gilberto conseguiram reunir 12 assinaturas para apresentar o pedido de instalação de uma CPI para investigar a atuação da empresa Energisa na Paraíba. Lembrando que na Assembleia Legislativa já existem três CPIs em funcionamento, limite máximo permitido pelo Regimento da Casa.

Mudanças na ALPB

Depois da deputada estadual Doutora Paula se afastar das atividades na Assembleia Legislativa para realização de cirurgias, agora é a vez do deputado Inácio Falcão estudar a possibilidade. O parlamentar convive com uma diabetes que, segundo ele, vem afetando sua visão. Quem também pode se afastar da Casa é o deputado Tovar Correia Lima, mas por um motivo diferente. Pode assumir uma secretaria na gestão do prefeito Romero Rodrigues, em Campina Grande.

Mutirão

A Comarca de Guarabira ampliou a previsão de 40 para 70 atendimentos diários de consumidores que desejam regularizar débitos junto à Cagepa. O Mutirão ProEndividados acontece no período de 4 a 8 de novembro, no Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania da Comarca e integra a XIV Semana Nacional da Conciliação, do CNJ. A ação será realizada das 8h às 14h, no Fórum Dr. Augusto de Almeida.

Sem conciliação

A juíza Flávia da Costa Lins Cavalcanti, da 1ª Vara da Fazenda Pública da Capital, realizou ontem uma audiência de conciliação com o Ministério Público e o município de João Pessoa, visando a resolutividade dos problemas apontados pelos Conselhos de Classe e demais órgãos de fiscalização nos serviços ofertados pelo Complexo Hospitalar de Mangabeira. O secretário de Saúde, Adalberto Fulgêncio, não se fez presente.

* André Gomes - interino

Relacionadas