sexta, 20 de setembro de 2019

Lena Guimarães
Compartilhar:

Não tem nada de absurdo

17 de janeiro de 2019
Todo mundo deve estar comentando o quão absurdo é esse aumento de salário dado aos magistrados do Tribunal de Justiça da Paraíba e aos conselheiros do Tribunal de Contas do Estado. Eu, sinceramente, não vejo nada de absurdo nisso. Diante da responsabilidade que essas pessoas têm com a sociedade eles têm que ser bem pagos mesmo não há o que se questionar.

O que é absurdo no nosso país e, por isso, a gente acaba enxergando esses altos salários como uma incoerência, é o fato de na outra ponta uma enorme parcela de cidadãos não serem tão bem pagos assim.

O que é um equívoco é o piso salarial de um professor ser apenas R$ 2,5 mil, ou o salário mínimo ser menos de R$ 1 mil para uma família se manter por um mês.

Juízes, desembargadores e conselheiros trabalham muito. Com certeza passam noites e noites acordados analisando as montanhas de processos existentes em seus gabinetes. Isso sem contar a responsabilidade que é ter que julgá-los. No caso dos membros do Tribunal de Justiça, eles estão lidando com vidas. Um simples equívoco pode mudar o destino de uma pessoa para sempre. Os conselheiros, por sua vez, têm em suas costas o peso de ficar na cola das contas dos gestores públicos, que nem sempre cumprem com suas obrigações e acabam levando à falência um estado ou um município. E aí têm que ser responsabilizados.

Responsabilidade imensa também pesa sobre os ombros da classe de professores. Eles têm que ensinar, educar, preparar cidadãos. Por isso, o injusto aqui é que eles não tenham os mesmos privilégios. Alguns passam os três turnos dentro de uma sala de aula e ainda têm que identificar os alunos que estão com problemas familiares, porque alguns pais passaram a acreditar que a responsabilidade disso está na escola e não em casa.

Injusto é saber que são eles quem preparam os juízes, os desembargadores, os conselheiros, mas ficam lá num cantinho esquecidos pelos governantes.

TORPEDO

"Quem quer ser da base, tem que ser de verdade. Quem não quer, tchau, paciência. A base está unida e deve permanecer unida. Porque a base, seja ela grande ou pequena, é base."

Do ex-governador Ricardo Coutinho, sobre a unidade da bancada governista em torno dos nomes a serem eleitos presidentes da Assembleia Legislativa.

Posse

Por falar em Ricardo Coutinho, ele tomou posse ontem como presidente da Fundação João Mangabeira, durante solenidade realizada em Brasília, dizendo que quer compartilhar a experiência acumulada para restabelecer o debate público.

LOA

O governador João Azevêdo sancionou ontem a Lei Orçamentária Anual quem tem uma previsão de mais de R$ 11,8 bilhões. Mas ela veio com uma série de vetos referentes a emendas apresentadas pelos deputados na Assembleia.

Explicação

Para justificar os vetos, João Azevêdo disse que eles estão embasados em estudos técnicos elaborados pela Secretaria de Planejamento, Orçamento e Gestão. Os parlamentares que tiveram emendas vetadas não gostaram nada disso.

Antes de lá

O deputado estadual eleito, Eduardo Carneiro (PRTB), já demonstrou que deve fazer muito barulho como integrante da bancada de oposição. Antes mesmo de tomar posse ele já está fazendo cobranças ao Governo do Estado.

Os motivos

As cobranças são com relação a celebração de parcerias com a Prefeitura de João Pessoa. Para ele, a cidade não pode ser penalizada pelo fato de o prefeito Luciano Cartaxo (PV) não ser um aliado político de João Azevêdo.

Criminal

A Câmara Criminal do Tribunal de Justiça da Paraíba vai retomar suas atividades na próxima terça, com 42 processos físicos na pauta de julgamento. Os trabalhos da 1ª Sessão Ordinária do ano têm início às 9h, no 1º andar do Anexo Administrativo.

O que tem

Na pauta estão 34 Apelações Criminais, cinco Recursos Criminais em Sentido Estrito, um Agravo em Execução, uma Apelação Infracional e uma Representação. Durante a sessão, será escolhido o novo presidente da unidade criminal.

ZIGUE-ZAGUE

< Dizem por aí que, ao contrário dos discursos repetidos no ano passado, as finanças do Estado não andam nada bem. Pelos comentários nos bastidores, o governador João Azevêdo tem andando bem preocupado com a situação.

> Esse seria o real motivo dos cortes que ele está fazendo na folha. O problema é que está refletindo em quem mais precisa e que está tendo suas gratificações cortadas pelo pé. E não falo dos grandes, porque esses estão bem garantidos.

Relacionadas