segunda, 14 de outubro de 2019

Lena Guimarães
Compartilhar:

Maré ruim

24 de setembro de 2019
O vice-prefeito do Conde, Temístocles Ribeiro (PSB) renunciou ao cargo e explicou que tomou a decisão para encontrar sua paz, “constantemente atacada por pessoas que parecem ter hábitos e pactos estranhos”. Deixou claro que não pretende uma nova candidatura em 2020, mas “apenas assistir ao fim da gestão mais perseguidora e mentirosa da história da nossa cidade”, que vem a ser de Márcia Lucena (PSB).

Na Câmara de João Pessoa, o vereador Léo Bezerra renunciou ao cargo de líder do partido. Sua justificativa: “Diante dos últimos fatos envolvendo o PSB, dissolução do diretório estadual sem observância aos critérios estatutários, renúncia do presidente municipal, Ronaldo Barbosa, não me sinto confortável em permanecer na liderança da bancada”.

O vereador Tibério Limeira entregou cargo no Diretório Municipal de João Pessoa, que com a renúncia de Ronaldo Barbosa, passou a ser comandado pela deputada Estela Bezerra.

O terceiro vice-presidente do Diretório de João Pessoa, professor Rubens Freire também deixou o cargo e em sua carta-renúncia, na qual também pede desfiliação, questiona a legalidade de todo o processo que rachou o PSB, as afirmativas de Ricardo Coutinho de que ele é o responsável pelo crescimento do partido, e seu direito de assumir a presidência.

Sua resposta: “A construção do nosso projeto político é uma construção coletiva. E, portanto, com a colaboração e empenho de companheiros e companheiras, evidentemente com seus limites e capacidades, mas o mais importante, com honestidade e dedicação”.

Sobre a legalidade do processo: “A dissolução do Diretório foi tomada sem a mínima averiguação dos fatos pela Direção Nacional do Partido e sem a corroboração da veracidade da lista dos renunciantes e de suas motivações. Aliás, o comportamento do Presidente em todo o processo foi péssimo. Tendencioso, atribulado, desequilibrado. Não procurou averiguar nada. Aceitou a primeira versão e a partir daí iniciou um conjunto de ações autoritárias e anti-democráticas”.

Para amenizar a exposição negativa, o governador João Azevedo repetiu que ainda não tem decisão sobre ficar ou sair do partido. Que continua analisando a conjuntura. Tudo isso aconteceu ontem. A maré não está boa para o PSB.

TORPEDO

"Nós estamos analisando. Vários passos ainda terão que ocorrer para que, se por acaso isso ocorrer... Eu anunciarei isso com muita tranquilidade. Entretanto, não é esse meu foco. O meu foco é fazer com que a Paraíba continue avançando."

Do governador João Azevedo, sobre sair ou ficar no PSB em razão da dissolução do Diretório Estadual, determinada à sua revelia.

Abandono

A Justiça Federal deu prazo de 120 dias para que a União apresente projeto com providências necessárias ao funcionamento “efetivo” do Terminal Pesqueiro de Cabedelo, que foi inaugurado em 2010.

Abandono 2

A decisão foi provocada pelo MPF, que informa ter constatado, junto com a PF e a AGU, o total abandono do terminal, ausência de equipamentos, depredação do prédio, falta de energia e de água.

Sem esquema

No Instagram, Julian Lemos confirma Artur Bolinha para prefeito de Campina. “Não faremos parte de nenhum esquema de perpetuação de poder, nem iremos compactuar com atos de corrupção”.

Adiado

O prefeito Romero Rodrigues admitiu adiar a entrega do Complexo Aluízio Campos, com 4.100 moradias. Disse que a parte de engenharia está pronta, mas falta concluir parte burocrática com o Banco do Brasil.

Longa espera

A inauguração estava prevista para o dia do aniversário de Campina Grande – 11 de outubro – com a presença de Jair Bolsonaro. O conjunto, com casas e apartamento, começou a ser construído em 2014.

Mutirão

Teve inicio ontem o 2° mutirão ‘Concilie com a Justiça – Custas Quitadas, Processo Baixado’ no andar térreo do Fórum Cível da Capital A meta é alcançar 70% de acordos, nos 206 processos agendados.

ZIGUE-ZAGUE

< O presidente Davi Alcolumbre adiou de hoje para amanhã a votação da PEC da reforma da Previdência no Senado. Convocou para hoje sessão do Congresso (as duas casas).

> Senadores e deputados vão analisar o PLN 5/2019, que é a Lei das Diretrizes Orçamentárias 2020, e os vetos presidenciais, inclusive a Lei de Abuso de Autoridade.

Relacionadas