quinta, 21 de março de 2019

Sony Lacerda
Compartilhar:

Liberdade partidária

26 de dezembro de 2018
Provavelmente você lerá sobre esse tema outras vezes por aqui, mas não dá para ignorar o fato de que nos dias de hoje prefeitos não se mexam nos gabinetes e parem para resolver de uma vez por todas essa coisa de “ou pago salário ou paga o décimo terceiro”. O CORREIO recentemente publicou uma matéria em que os gestores estão sendo ‘alertados’ (parece até o tempo em que eu levava ‘rela’ da minha mãe) pelo Tribunal de Contas por não cobrarem impostos municipais. Então, ‘simbora’ parar dessa demagogia travestida de utopia (apelando para o espírito natalino) que é tudo pelo povo. Até o povo sabe que é necessária essa cobrança para que as cidades tenham o básico e não fiquem apenas na dependência de recursos federais.

Ora, se as pessoas só votam em você, prefeito, porque você não cobra imposto, cabe filosofar: tem algo errado com você e com o próprio eleitor. Ao final das contas, literalmente, esses mesmos eleitores é quem ficam na ‘sofrência’, tentando adivinhar quando receberão o bônus. Pasmem, alguns prefeitos estão esperando a última parcela do Fundo de Participação dos Municípios, previsto para 31 deste mês, para a partir daí ainda fazer a escolha.

Me pergunto, todos esses anos, porque danado não se faz uma poupança, não se reduz os tais cargos comissionados. Ah! Lembrei. Tal como os impostos não cobrados, reduzir comissionados é algo de outro mundo. Próximo ano, é pré-eleitoral. Povo, acorde meu fi. É assim que vocês querem viver, como herança de pai para filho?

Herança nada boa, eu diria. Mas, ao que parece, deve ter quem goste de passar esse aperto anualmente porque as urnas abrem e o que vemos são as velhas práticas ganhando, na grande maioria dos municípios do interior. Gosto das exceções porque existem prefeitos conscientes e que cumprem com o que foi apalavrado. Parabéns!

De partida

Esta semana se falaou muito na saída de Felipe Leitão, deputado estadual eleito, do Patriota. Ele já havia manifestado o desejo de mudança, mas não falava abertamente. O Avante se adiantou e fez o convite formal ao novo parlamentar para garantir o aumento da bancada na Assembleia Legislativa que passaria de quatro para cinco deputados. O que se pergunta agora é se o Patriota vai assistir essa mudança de legenda de braços cruzados ou brigará pelo mandato?

Eleição 1

No Natal de muitos deputados não faltou o peru, a farofa e também as conversas sobre a eleição na Assembleia Legislativa. Com a colocação no nome de Tião Gomes na disputa, junto com o de Wilson Filho a confusão agora está para o processo do segundo biênio, já que para o primeiro está quase garantido o nome de Adriano Galdino para presidente.

Eleição 2

Com Galdino sendo emplacado no primeiro biênio a briga começará pelo mandato do segundo e o Governo pode entrar no circuito para tentar encontrar um nome de consenso entre os deputados da base e também que tenha bom trânsito na oposição. O que se observa é que o melhor nome que se apresenta no cenário atual é o do deputado Genival Matias.

Moído em Bayeux

Mais uma vez o processo de entra e sai de prefeito em Bayeux vai acabar na Justiça. Ontem o vereador Jefferson Kita, próximo presidente da Câmara, disse que vai impetrar um mandado de segurança contra o ato do presidente da Câmara Municipal de Bayeux, Mauri Batista Silva, o Nôquinha, que adiou do dia 29 de dezembro para o dia 8 de janeiro a realização da sessão extraordinária para votação do processo que pede a cassação do prefeito Berg Lima.

Plaquete

O ex-deputado federal e cronista do Correio da Paraíba, Chico Evangelista está distribuindo com os amigos a plaquete “Coragem e lealdade acima de tudo”, contendo os discursos do lançamento de seu livro “Uma Viagem ao Tempo”, que tem com capa e programação visual de Martinho Sampaio e fotos de Dalva Rocha. Estão lá os discursos do autor e dos jornalistas Gonzaga Rodrigues e Kubitschek Pinheiro.

Escola cidadã

O Governo do Estado mandou para a Assembleia Legislativa o Projeto 2.043/18 prevê a implementação de mais 52 Escolas Cidadãs Integrais e Escolas Cidadãs Integrais Técnicas. Segundo a matéria, a implementação dessas novas escolas demandará ajustes nos cargos que compõem o corpo diretivo das unidades. Para que isso seja possível, sem qualquer aumento de despesa com pessoal, vai se extinguir 168 cargos.

 

Relacionadas