sexta, 20 de setembro de 2019

Fábio Cardoso
Compartilhar:

João Pessoa em alta

25 de julho de 2019
Mais um aplicativo de busca de voos nacionais divulgou que João Pessoa está entre os destinos mais ‘buscados’ no primeiro semestre deste ano. Na semana passada, o Voopter revelou que a capital paraibana estava em 10º no ranking no período. Agora, o site TurismoCity - www.turismocity.com.br - informou que João Pessoa foi a 5ª cidade mais buscada pelos viajantes brasileiros. O ranking dos 10 destinos mais buscados conta com oito cidades do Nordeste e apenas duas do Sudeste e Sul - Porto Alegre (RS) e Rio de Janeiro (RJ) -, o que mostra a força do turismo da região. João Pessoa ficou atrás apenas de Recife (PE), Salvador (BA), Fortaleza (CE) e Maceió (AL), destinos que têm maior força financeira para realizar ações promocionais e, principalmente, uma malha aérea mais acessível em relação a preços e variedade de horários de voos.

Brasileiros viajam mais

Dados da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) apontaram que o número de brasileiros viajando de avião teve crescimento em 2018, chegando a mais de 100 milhões de passageiros que movimentaram os aeroportos, representando um aumento de 9,9% em relação ao ano anterior. Desse total, 91% dos embarques foram domésticos e 9% internacionais. Entre os fatores que contribuíram para esse crescimento, está o aumento do dólar. A pesquisa foi feita por meio de análise do comportamento dos usuários na plataforma - que tem mais de 600 mil usuários no Brasil.

Arrecadação recordo do IPTU/TCR 

Cabedelo bateu todos os recordes em arrecadação do Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana (IPTU) e a Taxa de Coleta de Resíduos (TCR). Até este mês, os contribuintes pagaram pouco mais de R$ 7 milhões. Em 2018, a arrecadação do IPTU e do TCR já tinha ultrapassado a dos últimos três anos. Em agosto, o valor chegou a pouco mais de R$ 6,5 milhões. O prefeito Victor Hugo avalia os números como um indicativo de que a população confia na sua gestão e que os recursos arrecadados realmente serão revertidos em obras para a cidade.

Energisa faz recadastramento

A Energisa está realizando o recadastramento dos clientes rurais em 71 cidades da Paraíba. A ação começou em junho e, até momento, cerca de 11 mil consumidores já atualizaram o cadastro. A meta estabelecida para 2019 é de 40 mil clientes. A iniciativa realizada pelo Governo Federal e a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) visa garantir a manutenção dos 90% de desconto na tarifa de energia elétrica para os consumidores que exercem atividade agrícola e rural, ligados à irrigação e aquicultura. Para atualizar o cadastro e manter o benefício, o consumidor rural precisa comparecer a uma agência de atendimento da Energisa até 31 de outubro. O recadastramento só será feito mediante apresentação dos documentos que podem ser conferidos no site www.recadastramentoenergisa.com.br ou pelo telefone 0800 083 0196.

Recuperação de créditos

Um relatório nacional da Associação dos Notários e Registradores do Brasil (Anoreg-BR), presidida pelo tabelião Cláudio Marçal Freire e tem como vice, o tabelião paraibano Germano Toscano de Brito, revela que os Cartórios de Protesto de todo o País proporcionaram a injeção de quase R$ 19 bilhões na economia, por meio da recuperação de créditos devidos ao setor privado no decorrer dos doze meses de 2018. Cerca de R$ 18,7 bilhões foram recuperados, em 12 meses, via Cartórios de Protesto, para os entes privados, o que representa 2/3 dos créditos inadimplidos.

Liderança na Saúde

A H. Forte, associada à Fundação Dom Cabral (FDC) em Pernambuco e na Paraíba, acaba de realizar mais um programa em parceria com a Sociedade Brasileira de Anestesiologia, que tem o paraibano Gualter Lisboa Ramalho na diretoria. Desta vez, o curso de Gestão e Liderança aconteceu na sede da FDC, em Nova Lima (MG). A H. Forte, que tem produtos específicos para gestores da área de saúde, realizou o mesmo programa em Brasília no mês de junho e agora segue para Curitiba. A capacitação, disponível para todo o Brasil, tem sido um sucesso por onde passa. Participam cerca de 50 médicos por turma e sempre sobram interessados na lista de espera.

Atentos ao futuro

Em tempos de discussão sobre a Reforma da Previdência, 40% dos trabalhadores brasileiros com alta exigência física (profissionais em áreas como agricultura, construção civil, equipes de emergências, entre outras) acreditam que a idade de aposentadoria deve permanecer a mesma, afirmando que as pessoas já trabalham o suficiente. Esse dado faz parte do recorte inédito da Pesquisa de Preparo para a Aposentadoria, conduzida pelo Instituto de Longevidade Mongeral Aegon, que analisou 15 países e mostra que os brasileiros estão preocupados quando o assunto é aposentadoria. Atento aos desafios para o futuro, o Brasil se encontra na terceira melhor posição no ranking quando o assunto é planejamento formal para a aposentadoria, atrás apenas de China e Índia, e à frente de países como Estados Unidos, Alemanha e Japão. A pesquisa alerta sobre as preocupações e oportunidades envolvidas nesta questão.

Relacionadas