segunda, 10 de dezembro de 2018

Sony Lacerda
Compartilhar:

Inevitável

01 de dezembro de 2018
Não adianta os prefeitos de Campina Grande e João Pessoa, respectivamente, Romero Rodrigues e Luciano Cartaxo, dizerem que não vão fazer mudanças no seu secretariado, porque isso é inevitável. Mesmo que não seja uma reforma administrativa, mas algumas peças terão que ser mexidas. Muitos dos auxiliares dos gestores deixaram seus postos para concorrer as eleições e com certeza os que não tiveram êxito querem voltar a comandar as pastas.

Prova de tudo isso é que Cartaxo já trocou a primeira peça. Agora, o novo secretário municipal da Receita é Max Fábio Bichara Dantas. Ele vai assumir a vaga de Adenilson Ferreira, que pediu exoneração do cargo durante a semana. Foi apenas a primeira mexida. Certamente virão mais.

Romero, por sua vez, descartou uma reforma administrativa e disse que o foco agora é pagar servidores e fazer o ‘natal iluminado’ da cidade. Talvez ele usou o foco para tirar do foco o que pode acontecer nos próximos dias.

Eu só não entendo pra que tanto mistério com isso se todo mundo sabe que é uma coisa inevitável nas duas principais prefeituras paraibanas. Só acho que essas reformas administrativas deviam ser feitas pensando no que será melhor para a gestão pública e não para encaixar amiguinhos que não conseguiram ser eleitos para exercerem mandatos eletivos. Mas vamos combinar, aí eu já estou pedindo demais! A política brasileira não é assim.

Muitos secretários escolhidos em todas as gestões, não apenas em Campina Grande e João Pessoa, são altamente capacitados para o cargo que exercem, mas não é segredo para ninguém que tantos outros não sabem nem o caminho da roça estão ali apenas por negociatas políticas e troca de favores. Então, que venham as mudanças.

Paz nos conflitos

Magistrados de todo país vão estar em João Pessoa nos dias 6 e 7 de dezembro, além de representantes do Ministério Público, advogados e professores para, participar do Encontro Nacional dos Juízes de Família, que tem como tema: ‘O Magistrado na Construção. O presidente do TJPB, desembargador Joás de Brito Pereira Filho, abrirá o evento na Escola Superior da Magistratura. O desembargador paraibano Leandro dos Santos será um dos debatedores.

Mais um preso

O prefeito da cidade de Tavares, Aílton Suassuna, foi preso ontem por ser suspeito de receber propina para a aquisição de carros para a prefeitura. Seu irmão, que é secretário de finanças do Município, Michael Suassuna, também foi indiciado e preso na semana passada, em outra fase da mesma operação. É mais um pego na Paraíba.

Punição

O Ministério Público ajuizou ação civil pública por ato de improbidade contra a ex-prefeita de Patos, Francisca Motta. Ela é apontada por descumprir a ordem de pagamentos de fornecedores na prefeitura, em 2013, durante o exercício do mandato, prejudicando a empresa Cirufarma Comercial Ltda, que forneceu medicamentos ao município.

Condenado

A Segunda Câmara Cível desproveu o apelo apresentado por José Walter Marinho Marsicano, condenado por improbidade administrativa, devido à contratação de pessoal sem realização de concurso público, quando prefeito de São José de Caiana. Ele foi condenado pelo Juízo da 3ª Vara da Comarca de Itaporanga às sanções de suspensão dos direitos políticos por 4 anos e na multa civil no importe de 20 vezes o valor da última remuneração percebida.

Santa Rita

Aproveitando o encerramento dos contratos temporários no município, o prefeito de Santa Rita Emerson Panta decidiu reduzir o número de prestadores de serviços e anunciou a realização de novo concurso público para o ano que vem. A medida proporcionará o ingresso no serviço público por meritocracia e o estudo para viabilização do novo certame já vem sendo realizado por equipe do Executivo.

Cerveja

A prefeitura de João Pessoa sancionou a Lei 13.659, de 12 de novembro de 2018, que permite a instalação de microcervejarias produtoras de cervejas artesanais e brewpubs no município. Além de valorizar e estimular a produção de cerveja artesanal local, a lei vai contribuir para dar visibilidade a quem está nesse ramo. O projeto de autoria do vereador Thiago Lucena (PMN). Economia em alta.

*Colaboração de Nice Almeida

Relacionadas