domingo, 27 de maio de 2018

Lena Guimarães
Compartilhar:

Heroína da pátria

22 de Abril de 2018
Projeto de lei de autoria da deputada federal Maria do Rosário (PT-RS) sugere a inclusão do nome da paraibana Margarida Maria Alves no livro de heróis e heroínas da Pátria. O projeto já foi aprovado no âmbito da Comissão de Constituição e Justiça  da Câmara  dos Deputados (CCJ) e seguirá para tramitação no Senado.

Margarida nasceu em agosto de 1933, no município de Alagoa Grande. Era filha de camponeses e começou a trabalhar ainda criança na agricultura. Ao se mudar do sítio dos pais para a cidade, envolveu-se com as atividades do Sindicato de Trabalhadores Rurais de Alagoa Grande e teve grande atuação no movimento sindical rural da região.

Margarida ocupou muitos cargos de importância no Sindicato. Chegou à presidência em meados de 1973. Ela ficou no cargo até o dia 12 de agosto de 1983, quando foi assassinada na frente de seu marido e de um filho. Uma das suas frases mais conhecidas foi durante um discurso de 1º de maio, meses antes de sua morte: “É melhor morrer na luta, do que morrer de fome”.

O deputado estadual Frei Anastácio (PT), que acompanhou de perto da luta de Margarida, elogiou a iniciativa da deputada Maria do Rosário. Segundo o deputado, ao homenagear Margarida, esse projeto de lei contempla todas as trabalhadoras do campo e da cidade que lutam pelos seus direitos e pelas transformações sociais. “Margarida foi uma mulher à frente do seu tempo, que deu a vida por uma causa. Ainda hoje, o sangue dela alimenta as lutas de todos que defendem os pobres, os oprimidos pelo capital e os excluídos da sociedade”, afirmou Frei Anastácio, que ainda se recupera de um problema cardíaco.

Segundo ele, o livro de heróis e heroínas da pátria recebe o nome de pessoas que se destacaram por sua contribuição e luta em defesa do País. “Nada mais justo do que incluir o nome de Margarida Maria Alves, que foi uma mulher que viveu para defender o homem e a mulher do campo. A deputada Maria do Rosário está de parabéns pela iniciativa. O deputado Luiz Couto, relator da matéria, também está de parabéns por defender tão bem o projeto, através do seu parecer”, disse Frei Anastácio. Ainda hoje, segundo ele, a luta de Margarida é lembrada e reverenciada pelos trabalhadores rurais que todos os anos realizam a Marcha das Margarida.

Adelson Barbosa dos Santos

TORPEDO

Do procurador-chefe do Ministério Público Federal na Paraíba, Marcos Queiroga, em entrevista sexta na Câmara de JP

No Brasil, de acordo com a consultoria legislativa do Senado, 55 mil servidores e agentes pol?icos t? foro privilegiado. Nenhum pa? chega perto disso. O caso extremo que se diferencia do nosso pa? ? o dos Estados Unidos, onde sequer o presidente tem esse privilégio.

PELO AVANTE

Ex-vereador da Câmara Municipal de Campina Grande, Fabrinni Brito (filho do ex-deputado estadual Walter Brito Filho) disputará uma cadeira na Câmara dos Deputados, pelo partido Avante, nas eleições de outubro.

Aije do Empreender

O vice-presidente do Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE-PB), Carlos Beltrão, colocará a Aije (Ação de Investigação Judicial Eleitoral) do Empreender-PB em votação até a primeira semana de junho.

Renovação

“Fabrinni será candidato dentro de uma proposta de renovação dos quadros políticos. Está percorrendo a Paraíba e tem visitado as igrejas evangélicas para discutir com pastores e fiéis propostas de novos rumos para o País”, disse Brito.

Indevidamente

Representante da CUT, Francisco Leite Lima Neto está sendo acusado de usar indevidamente o nome da Federação dos Trabalhadores em Serviços Públicos Municipais da Paraíba (Fespem) para se beneficiar com valores em dinheiro.

Zigue-zague

A denúncia contra Francisco Leite Lima Neto foi feita pelo presidente da Junta Governativa do Sindicato dos Servidores Municipais de Bananeiras (SisemBans), Gederlândio Adriano dos Santos.

Ao se sentir pressionado sobre a cobranças de valores em dinheiro por parte do representante da CUT, o dirigente do sindicato procurou a diretoria da Fespem-PB, que viu, no ato, a prática de um golpe.

Adelson Barbosa e equipe Correio - interino

Relacionadas