quarta, 17 de julho de 2019

Edinho Magalhães
Compartilhar:

Governadores pela Previdência

28 de junho de 2019
Os Governadores do Nordeste estiveram reunidos esta semana em Brasília. Na pauta, a Reforma da Previdência. Eles trabalham em conjunto para que os Estados sejam reinseridos pelo relator da Reforma no texto do Governo. Até aí tudo bem, nenhuma novidade.

Fato é que, em tese, nenhum Governador deseja puxar para si o desgaste político de promover uma reforma da Previdência em seu próprio Estado, enfrentando, sozinho, a resistência de servidores, sindicatos e dos opositores em sua respectiva Assembleia Legislativa.

Com ‘todos juntos e misturados’, numa reforma nacional, fica “menos pior”. Mas também é fato que os benefícios, ganhos e a economia gerada na Reforma, só devem começar a produzir efeitos em longo prazo. E os Governadores, em especial os do Nordeste, precisam de efeitos imediatos, urgentes. Para isso, eles apresentaram um ‘plano’.

Na última quarta-feira, reunidos no escritório de representação do Governo do Ceará, no Lago Sul, os Governadores chamaram a atenção do presidente da Câmara Rodrigo Maia que foi até eles para conhecer o ‘plano’: os Estados querem inserir, no texto da Reforma, uma compensação financeira, fiscal e/ou tributária, por meio de novas receitas, que garanta recursos extras para aplacar o déficit previdenciário de cada um. “Todos tem déficit”, disse o Governador João Azevedo, um dos porta-vozes do grupo de gestores nordestinos: “não queremos estar na Reforma por estar. Precisamos de um socorro emergencial para sanar ou diminuir nosso déficit previdenciário também”. Como eles sabem que Rodrigo Maia, por sua vez, precisa de votos para garantir a aprovação da Reforma no plenário, lançaram a idéia, se comprometendo – todos – a buscarem apoio entre suas respectivas bancadas.

Dito isso, o presidente da Câmara foi se reunir com líderes e representantes do Governo. Em rápida conversa com a imprensa, se disse otimista para executar o ‘Calendário Maia’, como está sendo chamada sua intenção de aprovar a Reforma antes do recesso em 17 de julho.

Ato contínuo, indagamos o Governador sobre a posição de alguns de seus aliados que são contrários à Reforma e, naturalmente, seriam resistentes à idéia (caso o ‘plano’ dê certo) como os deputados Gervásio Maia e Frei Anastácio, por exemplo: “Vamos buscar o diálogo. Já acionei o coordenador da bancada, deputado Efraim Filho para que possamos ter acesso aos deputados da bancada e conversar com todos eles em busca de um entendimento”.

Na próxima terça-feira os Governadores retornam à Brasília para avançar nesses entendimentos. Não se sabe se vai dar certo, mas ao menos, já contam com o empenho do presidente da Câmara que ainda acredita nos prazos do ‘Calendário Maia’.

É o famoso ‘me ajuda que te ajudo’. Se for para ajudar o Brasil, nada mal.

Ajuda de Efraim

Tão logo foi acionado pelo Governador, o deputado Efraim Filho conversou com a TV CORREIO em Brasília, e explicou sua estratégia: “é preciso esperar a votação na comissão especial para saber que texto, afinal, irá ao plenário. A partir daí reuniremos a bancada e chamaremos o Governador para que ele exponha a sua posição”.

Sem Abuso contra Autoridade

O presidente da ANPR, Associação Nacional dos Procuradores da República, paraibano Fábio George da Nóbrega, acompanhou de perto a votação do Projeto de Lei sobre Abuso de Autoridade que foi aprovado no Senado. No ‘cafezinho’, ele argumentava com o senador José Maranhão, entre outros, sobre aspectos que precisavam ser melhorados no texto.

‘Abuso’ na Câmara

Agora o representante dos Procuradores da República irá atuar na Câmara dos Deputados para onde o texto foi enviado após as alterações formuladas pelos senadores. O abuso de autoridade foi ‘ressuscitado’ no Congresso logo após o vazamento das conversas entre o juiz Sérgio Moro e integrantes da Lava Jato.

Em Brasília

O presidente nacional do Sindireceita, paraibano Geraldo Seixas esteve presente em jantar promovido por centrais sindicais em Brasília, na noite de quarta-feira, com a presença de parlamentares de oposição.No ‘cardápio light’, a pauta da Câmara sem Reforma da Previdência.

Cabeleira

Em meio ao agitado dia de reunião dos Governadores em Brasília, o secretário de comunicação do Estado, Luis Torres, chamou atenção dos colegas secretários, mais novos e calvos, pela sua vasta cabeleira preta. Foi logo indagado:

- como consegue ter tanto cabelo e nenhum fio branco com o stress da política?

- tenho tanto cabelo quanto caspa por stress e, por isso mesmo, fui no médico...

- e o que ele te receitou?

- que deixasse a política!

 

Relacionadas