quarta, 05 de agosto de 2020


Hermes de Luna
Compartilhar:

PBPrev reforça caixa e aeroporto de Patos entrará em obras

01 de julho de 2020
Projeto que escalona contribuição para reduzir déficit atuarial está na pauta da ALPB

Está na ordem do dia da Assembleia Legislativa um projeto de lei de autoria do governador João Azevêdo que majora a contribuição patronal, que é do Estado, para a PBPrev (Paraíba Previdência). A iniciativa tenta diminuir o déficit financeiro atuarial dos regimes próprios de previdência dos entes públicos, seguindo o que ficou determinado pela emenda constitucional 16 de 2020. É bom lembrar que essa contribuição não incide sobre vencimentos dos servidores públicos. É a parte do Estado para dar sustentação às finanças da PBPrev. A contribuição patronal é de responsabilidade exclusiva do governo. LEIA MAIS AQUI

O aumento será progressivo, ano a ano, e escalonado. Nada muda para a contribuição do servidor público. Essa contribuição patronal é de responsabilidade exclusiva do governo e segue o determinado por emenda constitucional da reforma da Previdência.

***

Obras podem dar a Patos um aeroporto novinho em folha

Uma completa reconstrução do terminal do aeroporto regional de Patos, no Sertão paraibano. É o que promete o Ministério da Infraestrutura, que autorização a licitação para obras. O Governo da Paraíba é quem vai fazer a licitação para contratar projetos e executar obras no Aeroporto Regional de Patos/PB. 01. Os recursos do Governo Federal são do Fundo Nacional de Aviação Civil (FNAC), que vão possibilitar a completa reconstrução do aeroporto. Os investimentos previstos são de pouco mais de R$ 35 milhões. LEIA MAIS AQUI

***

Consumo pós-pandemia cairá na Paraíba a níveis de 2012

Com a pandemia do novo coronavírus, o consumo das famílias brasileiras ficará comprometido ao longo de 2020, se igualando aos patamares de 2010 e 2012, descartando a inflação e levando em conta apenas os acréscimos ano a ano. A projeção é uma movimentação de cerca de R$ 4,4 trilhões na economia — um crescimento negativo de 5,39% em relação a 2019 —, a uma taxa também negativa do PIB de 5,89%. A previsão é do estudo IPC Maps 2020, especializado há mais de 25 anos no cálculo de índices de potencial de consumo nacional, com base em dados oficiais.

De acordo com a pesquisa, a Paraíba segue na mesma curva de queda. O PIB per capta em 2017 era de R$ 15.497,67. O share de consumo dos paraibanos chegava a 1,36070.  Este ano, o PIB per capta aumentou para R$ 24.319,82, mas o share de consumo foi rebaixado para 0,37946. PARA LER MAIS SOBRE A PESQUISA CLIQUE AQUI

O setor de serviços sofre mais ainda com essas perspectivas.  Hospedagem e alimentação, só em João Pessoa, já contabiliza mais de mil demissões e queda superior a 80% no faturamento por causa da pandemia provocada pelo novo coronavírus. A previsão do presidente do Sindicato das Empresas de Hospedagem e Alimentação de João Pessoa (SEHA-JP), Graco Parente, é que o setor será reduzido pela metade.

Quanto mais se alongam as medidas de proíbem funcionamento de hotéis, bares, restaurantes, pousadas e afins, mais se conta prejuízo. Cerca de 20% das empresas do segmento em João Pessoa já encerraram suas atividades. A SEHA-JP aponta que mais 30%, principalmente de bares e restaurantes, não conseguirão sobreviver no cenário atual quando reabrirem as portas. TEM MAIS SOBRE ESSE TEMA AQUI