quinta, 12 de dezembro de 2019

Sony Lacerda
Compartilhar:

Empreendedorismo em alta

01 de outubro de 2019
Diante da realidade atual do Brasil, que inicia um processo de reestruturação econômica, a solução para os altos índices de desemprego tem sido o empreendedorismo que é capaz de produzir bem estar social, apresentando a solução para muitas mazelas, já que o seu conceito vai muito além do que a ideia de abrir um negócio. Na Paraíba, um grupo de deputados estaduais têm percebido que é necessário incentivar o empreendedorismo, principalmente no interior, priorizando os arranjos produtivos locais.

O presidente da Frente Parlamentar de Empreendedorismo e Desenvolvimento Econômico da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), Eduardo Carneiro, tem levado esse debate para todas as regiões do Estado ao lado dos colegas Pollyanna Dutra, Tovar Correia Lima e Camila Toscano, com foco na promoção do desenvolvimento econômico, defendendo isenções, linhas de crédito, entre outras temáticas.

Por toda a Paraíba, temos exemplos bem sucedidos de pessoas que, na adversidade, resolveram empreender e hoje são empresários de sucesso, conseguindo empregar dezenas de pessoas. Mas o tema não é tão simples assim. É preciso capacitação e oportunidade para que as pessoas possam empreender. Apesar disso, o número de empreendedores está crescendo no Estado.

Dados da Receita Federal divulgados pelo Sebrae Paraíba mostram que o número de pequenos negócios cresceu 25,5% em três anos. Em julho de 2016, o estado contava com 131.762 pequenas empresas, enquanto em julho deste ano o quantitativo subiu para 165.493, um crescimento de 33.731 novos negócios.

O levantamento mostra que nos sete primeiros meses deste ano, o incremento no número de Microempreendedores Individuais (MEIs) na economia paraibana foi de 9.477. Os números mostram que essa é uma saída para a nossa economia.

Fora da comissão

O governador João Azevêdo revelou que já pediu para seus advogados apresentarem à Justiça Eleitoral o documento de renúncia da função de vice-presidente da comissão provisória instalada no PSB paraibano pela Direção Nacional da legenda. João acredita que até hoje esse documento seja entregue. Diante da situação, o governador não se sente à vontade para participar que qualquer coisa ao lado de Ricardo Coutinho.

Metralhadora

O presidente da ALPB, Adriano Galdino, não poupou artilharia contra o deputado federal Gervásio Maia. Para Galdino, a maior parte da culpa pelo afastamento do governador João Azevêdo e o ex-governador Ricardo Coutinho foi de Gervásio que “azucrinou o ouvido de Ricardo, levando fuxico, fofoca e colocando-o contra João”.

Resposta

Em nota divulgada em resposta a Adriano Galdino, Gervásio Maia disse que não podia ser responsável por nenhuma crise de quem quer que seja, pois isso não faz parte da sua história. Para o ex-presidente da ALPB, a ingratidão é algo tão terrível que parece corroer a alma de quem a exerce. A crise no PSB parece estar longe de acabar.

Violência contra a mulher

A Comissão de Constituição, Justiça e Redação da Assembleia Legislativa aprovou o Projeto de Lei 687/2019 de autoria da deputada Camila Toscano, que institui a utilização de tornozeleiras eletrônicas por homens que praticam violência doméstica e familiar. A deputada, que tem uma luta reconhecida em defesa das mulheres, foi convidada novamente para mediar um debate nacional sobre o tema. Desta vez, em Recife.

Crise na Oposição

Deputados de oposição na ALPB começaram a se desentender depois da crise no PSB. É que o afastamento de João e Ricardo aguçou o desejo de alguns parlamentares de se unir ao governo. A bancada que já está reduzida, pode diminuir ainda mais nos próximos dias dependendo do agravamento da crise no jardim girassol. O fato é que a oposição começou a se esfacelar e precisa repensar as posturas e ações.

Expectativa

A população pessoense aguarda apreensiva a decisão da Câmara Municipal sobre a criação de mais duas vagas de vereador. O projeto, de autoria da Mesa Diretora, está perto de ser votado em Plenário. Alguns vereadores já se colocaram contra, como Bruno Farias e Thiago Lucena. Para eles, o momento é de cortar gastos e despesas e não de criar ainda mais. Vamos aguardar como se posicionam os parlamentares.

Relacionadas