sexta, 19 de abril de 2019

Lena Guimarães
Compartilhar:

É lá, é cá…

04 de abril de 2019
Estamos numa semana emblemática para o combate à corrupção. Duas operações com a prisão de políticos estão fazendo aniversário. Ontem, a maior operação do gênero no Estado - a Xeque-mate em Cabedelo, que resultou na prisão do prefeito, dos presidentes da Câmara Municipal para os dois biênios, e vários outros vereadores - completou um ano. De lá para cá, já são quatro denúncias apresentadas pelo Grupo de Atuação Especial contra o Crime Organizado(Gaeco) do Ministério Público da Paraíba, com prisões de autoridades e empresários acusados de envolvimento no esquema, que mudou o poder na cidade portuária.

A quarta-denúncia, inclusive, foi aceita ontem pelo juiz Henrique Jorge Jácome de Figueiredo (da 1ª Vara de Cabedelo). Ele acatou o pedido de afastamento cautelar/suspensão do exercício de funções públicas de 10 pessoas - entre eles o ex-prefeito Leto Viana e o ex-vereador Lucas Santino - sob a acusação de fraude licitatória na realização de serviços de pavimentação e tapa-buraco em asfalto. O MPPB também pediu a restituição de R$ 937.400,04 aos cofres públicos de Cabedelo, porém, a decisão de ontem não atendeu ao pedido.

Segundo o promotor Octávio Paulo Neto, coordenador do Gaeco, a Xeque-mate é a maior operação anti-corrupção da história da Paraíba e ele pede a colaboração da sociedade para que os ilícitos cheguem ao conhecimento dos órgãos de controle do bem público. Ele afirmou que todo o trabalho de combate ao crime é voltado ao bem comum e que os interesses particulares não podem prevalecer sobre os demais.

No cenário nacional, o próximo domingo marca um ano da prisão do ex-presidente da República Lula da Silva. Condenado em segunda instância por corrupção e lavagem de dinheiro, com pena de 12 anos e 1 mês, ele está encarcerado na sede da Polícia Federal, em Curitiba (PR). Outras acusações pesam sobre o ex-presidente, que se defende afirmando que nenhuma prova foi apresentada nos processos que o têm como réu.

O País também vive a expectativa de processos contra o último ex-presidente, Michel Temer, que foi preso dentro da operação Lava-Jato, por receber propina na construção da usina Angra 3. Ele já é réu em dois processos, e espera a confirmação do 3º. (Por Damásio Dias)

Independente

Após ser relacionado na bancada governista da Assembleia Legislativa, o deputado Manoel Ludgério, que era oposição, teve trabalho ontem para tentar explicar sua posição de independência na Casa. Ficou a dúvida. O futuro vai mostrar.

Vai ou não?

Com a nomeação do deputado Hervázio Bezerra para a Secretaria de Esportes do Estado, a vaga espera o suplente Jutay Meneses. Até ontem, porém, o pastor não deu sinal de vida para dizer se assume e quando, apesar da convocação publicada no Diário do Poder Legislativo.

Corte de ponto

Após dias sem quórum para as votações em plenário, o presidente da ALPB, Adriano Galdino, reuniu os líderes para por ordem na casa. Ficou definido que a freqüência dos deputados será efetivada na hora das votações.

Mãos na cabeça

Ontem, antes de encerrar a sessão por obstrução da oposição, os deputados estaduais aprovaram reajuste para servidores do Magistério e da Polícia Militar. Além de 550 matérias - sobretudo requerimentos - também foi aprovada a redução da cargos comissionados do Detran.

Melhorou

A Primeira Câmara Cível do TJ da Paraíba decidiu reduzir de cinco para três anos a suspensão dos direitos políticos do ex-prefeito de Lucena, Bolão Mendonça. A ação foi relatada pelo desembargador José Ricardo Porto.

Zigue-Zague

O TCU determinou ontem que as estatais adotem critérios para evitar os supersalários de seus empregados e dirigentes. Em auditoria relatada pelo ministro Vital do Rêgo, foram encontradas remunerações até 12 vezes acima da média.

Os vereadores campinenses aprovaram por unanimidade a instalação de uma CPI para investigar os preços dos combustíveis na cidade. O vereador Alexandre do Sindicato (PHS) é o requerente.

 

Relacionadas