sábado, 21 de setembro de 2019

Sony Lacerda
Compartilhar:

É cedo ou tarde?

14 de agosto de 2019
A saga do prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo, sobre a escolha do sucessor para 2020. A pergunta que não quer calar: é cedo ou tarde para iniciar as articulações? Cartaxo não pode mais ser candidato, já que está no segundo mandato seguido, e precisa eleger o sucessor se quiser “estar vivo” para disputar o Governo do Estado em 2022. O prefeito insiste em dizer que ainda é cedo. Será?

Precisamos voltar a 2017. Lembram que o prefeito era candidatíssimo ao governo e que passou o ano inteiro se apresentado como tal, representando a união das oposições? Lembram também que em março de 2018 divulgou uma carta aberta dizendo que não seria mais candidato porque havia cansado de esperar por uma definição? As coisas desandaram e o prefeito acabou tido como ‘precipitado’ e até mesmo como ‘indeciso’. Com certeza, a culpa não foi só dele.

A preço de hoje, com base em partidos a exemplo do PSD, MDB, PSDB, PP e Solidariedade – que apoiaram a reeleição de Luciano Cartaxo em 2016 – todos têm nomes pré-lançados para a disputa no próximo ano. Pelo menos, é o que tem sido anunciado.

O PSD tem a vereadora Raíssa Lacerda; o MDB tem José Maranhão e está à procura de outros nomes fortes, a exemplo do deputado Eduardo Carneiro; o PSDB, Ruy Carneiro; o PP, Durval Ferreira, e o Solidariedade pode ir para a disputa com o atual vice-prefeito Manoel Júnior. Este último tem como meta ser o prefeito da Capital e não é de hoje. Também é possível que, ao final, todos revejam o posicionamento e se unam. Vai saber não é mesmo?

A rádio peão também lembra que Cartaxo pode muito bem se unir ao ex-governador Ricardo Coutinho, que certamente estará na disputa. É fato. Ricardo e o PSB não andam se entendendo internamente, apesar de o governador João Azevêdo já ter dito que o ex-governador é prioridade. Junto com Cartaxo, Ricardo poderia reeditar a dobradinha de 2014. A preço de hoje, seria uma aliança praticamente imbatível.

Pelo andar da carruagem, acho que o prefeito deveria repensar e começar a se organizar desde já.

Meio termo

O presidente da ALPB, Adriano Galdino, está mesmo disposto a dialogar com os colegas sobre a questão das emendas impositivas. Ontem, ele recebeu um pedido informal para instalar a comissão especial, mas vai aguardar a oficialização para discutir o tema. O G11 e a bancada de oposição querem a aprovação e farão de tudo para a proposta vingue.

Reforma

Adriano Galdino convocou os deputados para uma reunião na próxima terça-feira. Na pauta, uma proposta de uma reforma administrativa na Casa. O presidente acredita que as mudanças a serem adotadas vão garantir mais agilidade e transparência aos trabalhos desenvolvidos pelo Poder Legislativo paraibano.

Convite

O secretário-chefe de Gabinete da Prefeitura de Campina Grande, Bruno Cunha Lima, recebeu mais um convite de filiação partidária. Durante visita aos ex-colegas da ALPB, Bruno foi surpreendido pelo deputado Walber Virgolino com o convite de disputar a Prefeitura de Campina pelo Patriota. E aí?!

Aprovado

Os deputados estaduais aprovaram ontem o pedido de realização de uma sessão especial, de autoria da deputada Doutora Paula, para discutir a reforma tributária que tramita na Câmara Federal. A parlamentar e prefeitos dizem que a proposta pode prejudicar os municípios caso se concretize a retirada do Imposto Sobre Serviço (ISS).

Paz em casa

Membros da rede de proteção às mulheres vítimas de violência doméstica se reuniram ontem no TJPB para tratar sobre a 14ª edição da Semana Justiça pela Paz em Casa, que ocorrerá de 19 a 23 deste mês, em todo o Estado. Estão previstas, até o momento, para o esforço concentrado do período, 751 audiências, além do engajamento de 43 unidades judiciárias.

Sessão virtual

No dia 2 de setembro, a Primeira Câmara Cível do TJPB será o primeiro Órgão Colegiado do Tribunal a realizar uma sessão de julgamento totalmente virtual. A iniciativa não impede a realização das duas sessões presenciais que já acontecem semanalmente. Os julgamentos virtuais terão início às 14h com uma duração de sete dias. Um avanço no judiciário paraibano.

Relacionadas