sexta, 20 de setembro de 2019

Sony Lacerda
Compartilhar:

Despedida na CMJP

28 de dezembro de 2018
Deputado estadual diplomado, o vereador Eduardo Carneiro (PRTB) foi um daqueles que surpreenderam muitas pessoas, nas últimas eleições, embora pelas suas contas e pelas contas do partido, ele sempre figurasse, no decorrer da campanha, como um dos nomes que teriam cadeira certa na Assembleia da Paraíba. Obteve cerca de 18 mil votos. Na quarta-feira, ele foi à tribuna da Câmara pela última vez antes de se mudar de vez para a Assembleia. “Não sou de família tradicional, nem sou rico. A única coisa que tinha na campanha era a referência do mandato na Câmara de João Pessoa”, lembrou.

No balanço que fez da atuação como vereador, Eduardo ressaltou o aprendizado e o amadurecimento como parlamentar no Legislativo Municipal. Agradeceu a convivência com os demais vereadores, relembrou sua trajetória política e disse que sua votação para deputado foi o reconhecimento de um trabalho. Aliás, ele foi o vereador com mais projetos sancionados pelo prefeito da Capital. E chegou a ser eleito pela imprensa nacional como o vereador mais atuante do País.

O deputado elogiou os vereadores da Capital e as conquistas obtidas no primeiro biênio. Ele ressaltou que a Câmara tem se notabilizado pelo surgimento de grandes líderes, a exemplo do prefeito Luciano Cartaxo, do governador Ricardo Coutinho, apenas para citar dois exemplos, entre muitos que saíram da Casa de Napoleão Laureano como parlamentares.

Eduardo Carneiro disse que levará uma grande responsabilidade para a Assembleia Legislativa, onde pretende representar João Pessoa e os demais municípios paraibanos com um mandato voltado para a população.

Solidariedade

A última sessão da Câmara de João Pessoa foi marcada por protestos dos agentes de saúde ambiental e de endemias do município. Eles ocuparam as galerias com cartazes: “Vereadores. Sem PQA-VS [gratificação anual paga pelo Governo Federal]. Sem LOA”. Os agentes alegam que o dinheiro está na conta e que o prefeito Luciano Cartaxo ainda não teria pago. A reivindicação era de que não votassem o orçamento antes que a gratificação fosse paga.

Despedida

Ontem na Câmara também foi dia de despedida, no caso apenas da presidência, do vereador Marcos Vinícius. “Estarei na mesma trincheira que estive todos esses anos, seguindo o caminho da lealdade e pagando o preço que for preciso para que esta Casa continue sendo um Poder independente e harmônico”. O tucano ficou dois anos na função.

Sem interesse

A declaração do senador Cássio Cunha Lima, ao programa Correio Debate (CorreioSat), de que não estaria no páreo para a disputa pela presidência nacional do PSDB repercutiu na imprensa nacional. O tucano encerra os oito anos de mandato já que não foi reeleito nas eleições de outubro passado. Cássio disse que pretende “viver a vida agora”.

Decisão sobre o autismo

A juíza da 4ª Vara Mista da Comarca de Patos, Vanessa Moura Pereira de Cavalcante, concedeu a tutela de urgência para determinar que o Estado da Paraíba proceda a redução da jornada de trabalho de servidora mãe de filho com Transtorno do Espectro Autista - TEA em 50% a contar da intimação da decisão, para fins de acompanhamento do tratamento. A magistrada observou que em casos como o presente, cabe ao magistrado fazer interpretação sistemática e analógica da situação.

Obras

O deputado estadual Adriano Galdino lamentou ontem, durante sessão na Assembleia Legislativa, que o governador Ricardo Coutinho vai deixar o mandato sem entregar mais de 100 obras já concluídas apenas por falta de tempo. Para o parlamentar, o governador consegue deixar o mandato com ações realizadas em todo o Estado. As inaugurações ficarão para o governador diplomado, João Azevêdo, a partir de janeiro.

Fico

Ainda na sessão de ontem da Assembleia Legislativa, o deputado Antônio Mineral usou a tribuna para se despedir dos colegas e dizer que deixa o mandato, mas não sairá da Casa. Segundo o parlamentar, a Assembleia é a Casa do Povo e por isso, aberta para todos os paraibanos. Ele garantiu que não abandonará a vida pública e que continuará fazendo política no interior do Estado. Mineral não conseguiu ser reeleito em outubro.

 

Relacionadas