sexta, 20 de setembro de 2019

Edinho Magalhães
Compartilhar:

Decisão do PSB em Brasília

10 de setembro de 2019
A Executiva Nacional do PSB se reuniu em Brasília na tarde de ontem. A reunião conduzida pelo presidente nacional do partido, Carlos Siqueira, começou às 15h30 e se estendeu até as 19h. Na pauta da reunião estava a proposta de dissolução do diretório estadual do partido na Paraíba. Entre os 30 membros da executiva presentes, estavam o ex Governador Ricardo Coutinho, o deputado Gervásio Maia, o secretário Fábio Maia e Márcia Lucena Lira. O governador João Azevedo, não esteve presente. A imprensa não teve acesso à reunião, mas ao final, a coluna conversou com o presidente Carlos Siqueira com exclusividade para o Sistema CORREIO. Com muita tranquilidade, o presidente do PSB comentou que “na reunião extraordinária desta segunda, a Executiva Nacional não teve a iniciativa de dissolver o diretório estadual do partido na Paraíba”. Segundo ele, a direção do partido na Paraíba, “foi dissolvido por uma decisão de mais de 51% dos diretoriandos do PSB Paraibano”, e que, nessa condição, “não haveria mais o que decidir em Brasília”. Passo seguinte, Siqueira informou que a reunião tratou, então, “de nomear por unanimidade uma comissão provisória para que o partido não fique acéfalo na Paraíba, tendo o ex-governador Ricardo Coutinho na presidência dessa comissão e o atual governador João Azevedo como vice-presidente”. A duração dessa comissão será de 120 dias para que ela possa fazer novas eleições definitivas.

Ainda compõem a ‘comissão provisória’ o senador Veneziano Vital, como Secretário Geral; Márcia Lucena como Primeira Secretária e Fábio Maia como Secretário de Finanças. Valquíria Sousa e Edvaldo Rosas comporiam a comissão como ‘Secretários Especiais’.

Ficou evidente que o ex Governador Ricardo Coutinho tem muito mais relacionamento e acesso à direção nacional do partido do que João Azevedo. Mas é claro que nenhum partido gostaria de perder de suas fileiras um Governador de Estado por questões internas e paroquiais. Deixar de ter um Governador é deixar de ter status, tamanho e fatia do Fundo Partidário e Eleitoral, que são recursos financeiros para a sigla.

Informalmente o presidente do partido nos disse que tem “ótima relação com o atual governador João Azevedo e que a decisão da Executiva Nacional é inclusiva, portanto, sem o caráter de excluir ninguém”. Segundo ele, “o governador terá, inclusive, maioria nessa comissão provisória e que agora dependerá somente dele decidir se aceita essa proposta”. A coluna apurou que o Governador do Espírito Santo, Renato Casagrande é quem estaria fazendo a ponte de comunicação entre João Azevedo e a direção do partido, mas ao ser indagado sobre quem avisaria o Governador dessa decisão, Siqueira foi taxativo: “eu mesmo!”.

Mais Médicos

A Comissão que analisa o novo Programa Mais Médicos pelo Brasil, presidida pelo deputado Ruy Carneiro, se reúne na tarde de hoje e de amanhã, ouvindo entidades de classe que representam profissionais de Medicina, em audiências públicas sobre o assunto.

Comissão ouve Caixa sobre Nordeste

Falando no deputado Ruy carneiro ele é um dos signatários do Requerimento 73/19 que convocou o presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, para prestar esclarecimentos sobre suposta suspensão de operações de crédito do banco estatal para municípios do Nordeste. Ele será ouvido às 11hs pela Comissão de Finanças e Tributação.

Efraim no Planalto

O deputado Efraim Filho resolveu comprar a briga dos produtores de etanol em Brasília. Após perceber que a equipe econômica do Governo Federal estava autorizando a importação do etanol americano, ele marcou audiência no Planalto esta semana para tratar do assunto: “Temos que rever isso. O produtor brasileiro e nordestino de cana de açúcar é que não pode sofrer”.

Reforma Tributária

O deputado Aguinaldo Ribeiro retorna na tarde de hoje do Qatar onde esteve acompanhando o presidente da Câmara Rodrigo Maia, em missão oficial. Ele desembarca do avião e vai direto para mais uma reunião da Reforma Tributária, na Câmara, em que é relator.

Pedro defende Bolsas

Também presidindo comissão na Câmara Federal, o deputado Pedro Cunha Lima dirige amanhã os trabalhos na Comissão de Educação com audiência pública em defesa do CNPq e da CAPES. “Precisamos buscar uma solução junto ao Governo federal para evitar os cortes nessas importantes pastas”.

"Na crise, retirar da ciência e da educação, é aumentar a crise”. deputado Pedro Cunha Lima.

Relacionadas