segunda, 10 de dezembro de 2018

Sony Lacerda
Compartilhar:

Compromisso com quem

22 de novembro de 2018
Contrariando a onda de mudanças que o Brasil demonstrou nas urnas no mês passado, deputados reeleitos na Paraíba parecem não ter se apercebido dessa nova realidade. Talvez motivados pelo fato do comando no Executivo estadual ter mudado de titular, mas permanecendo nas mãos do mesmo grupo político, não vêm comparecendo às atividades de plenário na Casa de Epitácio Pessoa. Ontem, em plena quarta-feira, com mais de 180 matérias na Ordem do Dia para serem analisadas e votadas, não houve quórum sequer para abrir a sessão (seis deputados).

Aos presentes coube a reclamação, porém, seguindo as regras contidas no regimento interno da Casa, pegaram o caminho da rua. Até as 10h, o repórter Henrique Lima (98 FM) que cobre as atividades legislativas identificou oito deputados presentes - cinco reeleitos (Hervázio, Estela, Jeová, Raniery e Tovar), dois não eleitos (Janduhy e Lindolfo) e um que vai para a Câmara Federal (Frei Anastácio).

O deputado reeleito Raniery Paulino que chegou, segundo ele, às 9h38, reclamou da ausência e defendeu o corte de ponto dos faltosos. Minutos depois de postar mensagem em suas redes sociais se queixando da ausência da grande maioria dos colegas e impossibilidade de realizar a sessão foi chupar laranja em frente a uma agência bancária ao lado da Assembleia.

Tovar, que diz ter chegado 8 minutos atrasado, afirmou que as discussões e votações só começam às 11h (contido também no regimento interno) e condenou as ausências.

Beirando o final da legislatura, os parlamentares só corroboram a tese do fim da reeleição.

Os eleitores começam a ver que renovar as práticas é mais que necessário que trocar nomes.

(Damásio Dias)

Ação nobre

O presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Joás de Brito Pereira Filho, e o presidente recém-eleito desembargador Márcio Murilo da Cunha Ramos, fizeram ontem uma visita ao desembargador aposentado, Marcos Otávio Araújo de Novais. Esse é um dos primeiros procedimentos de Márcio Murilo, como presidente. “Se houver condições financeiras, quero instalar um ambiente de convivência entre todos os magistrados”, adiantou.

Show do milhão I

A dor de cabeça dos deputados derrotados não fica só no fato de não poderem permanecer no poder. Eles investem pesado na campanha e querem ver o retorno do dinheiro investido. Este ano, oito não conseguiram se reeleger e estão abrindo os porquinhos para catar até a última moeda para não ficarem com a conta no vermelho.

Show do milhão II

Ao todo, esses parlamentares tiveram despesas que somam R$ 1.109.177,61. o deputado Jutay Meneses foi o que mais gastou entre os derrotados. Consta na prestação de contas dele gastos na ordem de R$343,8 mil. Renato Gadelha aparece na sequência com R$ 264 mil O levantamento é do repórter do Portal Correio Alexandre Freire.

Falsificador

A Câmara Criminal do TJPB reformou decisão do Juízo da 4ª Vara Criminal de Campina Grande e decretou a prisão preventiva do tabelião do Cartório de Registro Civil de Santa Terezinha, Luiz Carlos de Melo, acusado de infringir o disposto no artigo 297 do Código Penal, falsificação de documento público. O relator do Recurso em Sentido Estrito foi o desembargador Ricardo Vital de Almeida, que determinou a imediata expedição do mandado de prisão.

Governadores




João Azevêdo foi ao encontro promovido pelos governadores eleitos e reeleitos do Nordeste. A pauta parece ter sido bem produtiva e agora o documento com as reivindicações será encaminhado ao presidente eleito Jair Bolsonaro. Mas ao contrário do que se esperava o assunto recursos hídricos não foi a prioridade na pauta. Se foi, pelo menos não foi anunciado. Outros temas importantes foram falados na ocasião.

Pauta

Entre os pleitos do encontro, estão a retomada de obras federais no Nordeste, visando à geração de empregos e o crescimento econômico da região; celebração de um Pacto Nacional pela Segurança Pública; a viabilização de fontes financeiras para reequilíbrio do pacto federativo; debate acerca do novo Fundeb; consequências da mudança no programa Mais Médicos. Além do desbloqueio das operações de créditos.

Relacionadas