quinta, 12 de dezembro de 2019

Roberto Cavalcanti
Compartilhar:

Barba, cabelo e bigode

21 de setembro de 2019
Não é nada fácil formar um grupo de vencedores. Muito trabalho, máxima dedicação, verdadeiro amor, extremo esforço e sublime fé.

Qualquer que seja a missão, atingir um objetivo não ocorre por acaso. Declaro a todo instante que fui um iluminado por Deus ao ser levado, pelas mãos do meu primo Paulinho Brandão, a abraçar o ramo da Comunicação e ter o privilégio de uma convivência com neurônios superativados.

Digo sempre que em Comunicação o medíocre não se esconde. Impossível não ser identificado. Aquele jabuti que é colocado em cima de uma estaca, tão comum no setor público ou privado, em Comunicação é irremediavelmente derrubado pela força das competências que o cercam.

Nesse segmento se consegue descobrir facilmente os desvios de caráter e a incompetência. Comunicação se enquadra perfeitamente naquelas precondições onde facilmente se percebe quem realmente você é.

Seguindo o ditado que diz “quer saber quem realmente a pessoa é, dê-lhe poder, dinheiro, uma boa dose de bebida ou dispute com ela algum tipo de jogo”. As ovelhas são mais fáceis de serem identificadas do que os camaleões. Nada passa sem ser identificado pelo raio X da vida – o cotidiano.

Formar uma equipe vencedora leva tempo. No nosso caso específico, estamos em permanente treinamento há mais de 66 anos.

Como é bom comemorar as vitórias, frutos de todo esse tempo. O arco de atividades do setor de Comunicação vem se ampliando a cada instante, e a modernidade digital tem o céu como limite. Digo o céu em respeito e gratidão a Deus, caso contrário diria ilimitado.

Atuamos em todos os seus segmentos. Nossa equipe vencedora é hoje premiada pela população em tudo o que abraçamos. Na mídia impressa, temos os dois únicos jornais diários privados do Estado – o Correio da Paraíba e o Já.

Lamentamos não termos concorrentes, o que estimularia nossa saga de disputa. Mesmo sendo únicos, honramos essa posição buscando a cada dia aprimorarmos as nossas edições.

Nas rádios, temos cobertura de 100% do território do nosso Estado, através de uma rede de 15 emissoras estrategicamente localizadas. Nas cidades-polo, somos líderes de audiência, e em algumas delas, ocupando 1° e 2° lugar.

No horário nobre, temos a 98 FM em primeiríssimo lugar, com 20,60% de audiência, e o 2° lugar ocupado por outra nossa empresa, a Mix FM, com 13,36%. Nova vitória em outro segmento de Comunicação.

Nosso brilho na TV é inacreditável. Somos hoje os escolhidos, batendo todos os adversários, e o que é melhor, com quase o dobro da audiência do 2° lugar nos horários ocupados por programas com produção local. Produzimos o sabor paraibano.

Nunca comemoramos vitórias sobre os fracos. O verdadeiro sabor de vitória é quando batemos os favoritos, os grandes. Não é fácil mudar hábitos alimentares, mais difícil ainda é alterar uma cultura que há quase meio século imperava no subconsciente dos telespectadores.

Hoje, em horários decisivos na TV, como das 11h45 às 13h45, de segunda a sexta, temos a TV Correio/Record TV com percentual de 44,90%, e a que já foi considerada imbatível, em 2° lugar, com apenas 27,15%.

Sinto o gostinho da vitória quando saio do banco, que nem de reservas era, e entro em campo na TV ao lado de Lena Guimarães, de Hermes de Luna e da nossa grande equipe do Correio Debate, todas às quintas-feiras.

Mantemos a dianteira, batendo a emissora colocada em 2° lugar tanto no share individual, como no share domiciliar, pelos percentuais de 45,51% a 28,38% e de  42,84% a 31,13%, respectivamente, em picos de audiência.

Muita gratidão a Deus pela equipe da mídia impressa que vence por WO, pelo 1° lugar nas rádios e por sermos campeões na programação local de TV. Barba, cabelo e bigode.

Relacionadas