domingo, 08 de dezembro de 2019

Lena Guimarães
Compartilhar:

Autocrítica? É necessária

16 de novembro de 2019
O PT não precisa fazer nenhuma autocrítica e não nasceu para ser um partido coadjuvante. Foi o que afirmou o ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva, em seu primeiro ato partidário. Eu já digo o contrário, precisa e rápido dessa autocrítica. O partido não pode ficar o resto da vida a reboque de Lula, que todos sabemos que terá uma suposta candidatura a presidente, em 2022. É preciso avaliar as ações da legenda, a partir do segundo Governo Dilma Rousseff, passando pelo impeachment da petista, a prisão de Lula e o resultado das eleições de 2018, que elevou o processo democrático brasileiro a outra patamar - se está sendo bom ou ruim, cada um que tire as suas próprias conclusões.

“Vocês já viram alguém pedir para FHC fazer autocrítica? [...] Quem quiser que o PT faça autocrítica, que faça a crítica você. Quem é oposição que critica, ela existe para isso [...] Na dúvida, a gente defende o nosso companheiro”, afirmou o ex-presidente. Lula afirmou que o partido não deve abrir mão de seu protagonismo e lançar candidatos em todas as cidades possíveis em 2020 para “defender o seu legado”. De que legado estamos falando: do PT, que viu tudo afundar, ou do próprio Lula que, querendo ou não, teve culpa sim, indiretamente, do malfadado Governo Dilma II. Não adianta tapar os olhos. Esse protagonismo não é e nunca será o mesmo, se continuarem olhando apenas para os próprios umbigos, e ainda dando munição aos Bolsonaros.

Na Paraíba, por exemplo, o PT já é não protagonista há muito tempo. Desde que recusou a candidatura de Ricardo Coutinho, então filiado à legenda, ao Governo do Estado. Ricardo migrou para o PSB e permanceu no comando do Estado por oito anos, ajudando a eleger o sucessor João Azevêdo, com quem rachou recentemente. Engraçado que minha mãe sempre fala: “minha filha, nada como um dia atrás do outro e uma noite no meio”. Taí. Ricardo e Lula e o PT são melhores amigos. O PT da Paraíba, apesar de todos os esforços, em muitos casos têm servido apenas como ‘apoio’. É fato!

Com a saída da prisão, beneficiado por uma decisão do Supremo Tribunal Federal sobre prisão após condenação em 2ª Instância, Lula centro fogo na gestão Bolsonaro. Por fim, disse que vai lutar para recuperar os seus direitos políticos. Mas, evitou cravar que deseja voltar a disputar à Presidência da República. E disse que quer subir a rampa do Planalto em 2022, mas não necessariamente como presidente. A palavra deveria ser renovação, mas não vejo discurso nesse sentido.

Torpedo

"Vamos fazer uma análise dos cargos comissionados, para um eventual enxugamento. Dentro dessa visão, ainda são prioridades os cartórios e comarcas unificados e assessores para os juízes de Primeiro Grau." Do presidente do Tribunal de Justiça da Paraíba, desembargador Márcio Murilo, sobre as ações prioritárias do Poder para o Orçamento de 2020.

Sobrinho

Andam dizendo que a entrega dos cargos pelo deputado Bosco Carneiro não teria nada a ver com o Governo. A rádio peão informou que o que existe é uma briga de Bosco com o prefeito de Alagoa Grande. A irmã de Bosco bateu o pé e diz que vai disputar a Prefeitura contra o até então ‘aliado’.

Criaturas

Não é só em âmbito estadual que João Azevêdo deve disputar com Ricardo Coutinho. Em Solânea, por exemplo, o cenário é o mesmo. O atual prefeito Kayser Rocha, a ‘criatura’, deverá entrar na disputa contra o ‘criador’, Beto do Brasil. O que importa é alcançar a reeleição. Será que dá?

Sorrisão

Bons ventos têm soprado pras bandas de Picuí. O senador José Maranhão tem levado emendas para o município. É verba com força do Governo Federal para a gestão do único prefeito do PT na Paraíba. Quem está sorrindo de canto a canto é Olivânio Remígio, que vai para a reeleição.

Ousado

Bolsonaro e Lula no mesmo palanque? Coisas do interior da Paraíba. Neto Nepomuceno, prefeito de Barra de Santa Rosa e conhecido pelos amigos como um dos prefeitos mais bolsonaristas do Brasil, anda flertando com o petista mais roxo da Paraíba, o ex-vereador Adriano Leite. E aí?

Ousado 2

Adriano, que foi presidente da Câmara de Barra de Santa Rosa, já mandou o recado: nem venha que “sou candidato a prefeito da oposição”. Vishhhh. Voltando aos palanques, não é de hoje que adversários se juntam no mesmo lugar, em eleições municipais.

Zigue-zague

O novo grupo suprapartidário da Assembleia Legislativa formado por deputados que se dizem “fora da caixa” - é cada uma - apresenta nomes que está deixando a “velha política” de cabelo em pé.

Parece que o time “de primeiro mandato”, que deveria aprender com os veteranos, já chegou ensinando! Na briga dos mais novos com os mais velhos eles garantem: “Nada tem haver com a idade, e sim, com as ideias”.

Sony Lacerda - Interina

Relacionadas