sábado, 21 de setembro de 2019

Lena Guimarães
Compartilhar:

Água e política

29 de agosto de 2019
O golpe que tirou a presidência do PSB de Edvaldo Rosas após aceitar compor o governo de João Azevedo, foi ruim para a imagem do ex-governador Ricardo Coutinho e de seus aliados. Trouxe à tona os embates travados no PT e principalmente a forma como tratou o ex-prefeito Luciano Agra. “Palmadas” voltaram ao vocabulário político.

Como João Azevedo recusou debate público e avisou que não usaria a estrutura do governo para resolver a pendenga partidária, garantiu apoio entre políticos e a aprovação da opinião pública.

Foi nesse ponto que Ricardo Coutinho voltou a levantar a bandeira da Transposição do São Francisco. Os socialistas acham que Bolsonaro está retaliando o Nordeste e por isso a obra está abandonada e Campina Grande e região podem voltar a sofrer com falta d’água.

Aliás, trata-se da mesma “obra do século” e “redentora do Nordeste”, que exatamente há dois anos os ex-presidentes Lula e Dilma inauguraram ao lado de Ricardo Coutinho, em grande evento em Monteiro, ignorando o esforço do governo Michel Temer para abastecer cerca de um milhão de paraibanos.

Pelo menos dois documentos colocam em xeque a tese da retaliação: a perícia, de 24 de julho, do engenheiro Marcelo Pessoa de Aquino Franca (PRPB – MPF), apontando falhas técnicas na obra iniciada no governo Lula, em 2007.

O outro é o comunicado do Ministério do Desenvolvimento Regional, de 16 de agosto, no qual informa que suspendeu bombeamento no Eixo Leste após equipamento de monitoramento emitir alerta na fase final de enchimento da barragem Cacimba Nova, em Custódia (PE), o que exigiria intervenções estruturantes, que estão em andamento.

Entendendo que o “SOS Transposição” tem conotação política, o presidente Adriano Galdino (ALPB) não incluiu em sua agenda. João Azevedo foi pelo mesmo caminho. Deputados alegam compromissos.

Já a oposição provoca e diz que Ricardo antes de ir para Monteiro deve explicar porque passou oito anos no governo e não concluiu o Canal Acuã/Araçagi (levará águas do São Francisco para o Brejo) que recebeu com recursos garantidos e até licitado. Bolsonaro tem oito meses.

João, Adriano e outros deputados podem até mudar de ideia, mas é alto o risco do evento não produzir o efeito esperado por Ricardo e seus fiéis escudeiros.

TORPEDO

"A partir de agora, nós estamos sinalizando para os investidores e para o mundo que essa é uma ação que ultrapassa os limites da Paraíba e tem o interesse do Governo Federal no sentido de fazer com que esse empreendimento saia, definitivamente, do papel e possa surtir efeitos na economia do Estado, do Nordeste e do país."

Do governador João Azevedo, avaliando como “extremamente positivas” as audiências em Brasília, que garantiram um estaleiro e investimento de R$ 3,5 bilhões no Estado.

O tripé...

Um sistema simples, transparente e justo. É observando esses três pontos que o relator da reforma Tributária, Aguinaldo Ribeiro (PP) pretende construir o texto que submeterá à comissão especial da Câmara.

... do relator

Para ele, o contribuinte deve ter maior visão do que desembolsa na forma de impostos. Contudo, acha que nem carga tributária pode ter acréscimos, tampouco a arrecadação possa cair, diante da situação fiscal do país”.

Lista do TCE

A Corte de Contas homologou a lista tríplice para o cargo de conselheiro, em razão da vaga aberta com a morte de Marcos Costa. Pelas regras do quinto constitucional, a cadeira é da categoria dos auditores-substitutos.

Lista do TCE 2

Pelo critério de antiguidade, Antônio Cláudio de Silva Santos, Antônio Gomes Vieira Filho e Renato Sérgio Santiago Melo estão aptos. Quem escolherá o novo conselheiro será o governador João Azevedo.

É direito

O juiz Miguel de Britto Lyra Filho negou provimento a Apelação Cível e manteve sentença que condenou o Estado a realizar o tratamento médico de uma paciente portadora de artrose do quadril. É direito do cidadão.

Estreia

Gilbran Asfora acompanhou a estreia de Raylla Asfora no Tribunal de Justiça, como Advogada Criminalista, fazendo a sua primeira sustentação e conseguindo vitória. Aposta que ainda surpreenderá muitos.

ZIGUE-ZAGUE

< Segundo o ministro Augusto Sherman, auditorias do TCU já identificaram rombo de R$ 12 bilhões nos financiamentos do BNDES para obras no exterior.

> Na sessão da Corte ele disse que o valor do rombo nas gestões do PT pode chegar a R$ 21 bilhões, porque a média dos desvios de finalidade era de 50% por obra.

 

Relacionadas