sexta, 19 de abril de 2019

Lena Guimarães
Compartilhar:

A visita de Michelle

03 de abril de 2019
Na posse do marido na Presidência da República ela encantou o Brasil com seu jeito simples e sorriso aberto. Quebrou o protocolo ao fazer um discurso para a multidão, muito aplaudido, e desde então Michelle Bolsonaro é apontada como um recurso que pode mudar positivamente a comunicação do governo de Jair Bolsonaro.

Ativista de causas sociais, ela fez campanhas pela doação de sangue e de medula óssea, atuou na Trupe Miolo Mole (visita crianças em hospitais), promove a causa dos deficientes auditivos (é intérprete de Libras), e mais recentemente adotou a das crianças vítimas de microcefalia.

E foi para conhecer o trabalho pioneiro da Prefeitura de Campina Grande, em parceria com o governo federal, para essas crianças e suas famílias, que Michelle Bolsonaro veio à Paraíba, de surpresa, acompanhando o ministro Osmar Terra, que tinha agenda na cidade.

Michelle conversou com profissionais, mães e crianças assistidas pelo Criança Feliz e Centro Dia. Ouviu testemunhos emocionantes também no Centro Especializado de Reabilitação, que atende os que têm deficiências, inclusive autistas. Não segurou as lágrimas ao visitar o jovem Leryston Mateus, portador de doença rara.

Ela não buscou holofotes. Não deu entrevistas. Desagradou alguns que esperavam um comportamento mais político. Agradou os que identificaram a intenção de não tirar o foco do trabalho que se dispôs realizar quando chegou à posição de primeira-dama do Brasil.

Mesmo sem declarações, ela projetou o prefeito Romero Rodrigues e os programas que fizeram com que escolhesse Campina para sua primeira visita oficial fora de Brasília. Conforme destacou o ministro, a cidade tem o primeiro modelo do Centro Dia (microcefalia), oferecendo serviços que vão desde creche, acompanhamento médico, até assistência as famílias.

Segundo Osmar Terra, Michelle fez questão de conhecer a experiência de Campina, visto seu compromisso com as crianças. Romero Rodrigues agradece. Ela não falou, mas sua presença carismática garantiu boa divulgação. E ganhos de imagem, afinal teve seu trabalho aprovado e é o único prefeito da Paraíba com linha direta com Bolsonaro.

TORPEDO

"Antes o Programa do Leite – isso em 2003 – beneficiava 120 mil famílias diariamente com distribuição leite. Além de auxiliar na segurança alimentar, gerava emprego e renda para os produtores locais. Mas, atualmente, apenas 20 mil famílias são beneficiadas", do deputado Tovar Correia Lima (PSDB) que pediu ao ministro Osmar Terra (Cidadania), mais recursos para o Programa do Leite.

Estaleiro. O governador João Azevedo marcou dois golaços: assinou o protocolo de intenções para instalação de estaleiro de reparados de navais em Lucena, e anunciou projeto para a ponte que ligará a BR-230 ao município.

Empregos. O estaleiro significa investimento de R$ 3,5 bilhões, com criação de seis mil empregos. “O nosso Estado avança de uma forma extremamente significativa para mudar a vida de toda uma região”, disse o governador.

Solução. Ao invés de exigir segurança do governo após o assalto que deixou dois feridos, o reitor da UEPB, preferiu proibir o Santander de operar com dinheiro no campus de Campina. Assim, não haverá mais surpresas.

Servidores. O TJPB vai decidir antigas demandas dos servidores públicos, civis e militares. Na pauta de hoje, questões referentes às progressões e promoções em carreiras e processos sobre benefícios previdenciários.

Autismo. O vereador Bruno Farias, autor da lei que instituiu a Política Municipal de Proteção dos Direitos da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista, conclamou a sociedade a conhecer e proteger os do “Mundo Azul”.

Autismo 2. No Dia Mundial de Conscientização do Autismo, Bruno Farias destacou que como vereador destinou R$ 550 mil para criação de clínica e para ampliação de salas multifuncionais nas escolas da Capital para autistas.

ZIGUE-ZAGUE

<O ex-presidente Michel Temer e o ex-ministro Moreira Franco viraram réus no caso da propina em obras de Angra 3, no Rio. A decisão é do juiz Marcelo Bretas.

>Previsão de Rodrigo Maia sobre reforma da Previdência: mudanças no BCP, na aposentadoria rural e o sistema de capitalização não passam. Sobrou a idade mínima.

Relacionadas