terça, 20 de outubro de 2020


Hermes de Luna
Compartilhar:

A ideia fixa de Ricardo e aposta em Gilmar Mendes

06 de agosto de 2020
Ex-governador se coloca como pré-candidato, mesmo correndo riscos de condenação na Calvário

Em política, o jogo é jogado. Tão surrada quanto essa frase, é a certeza de que o ex-governador Ricardo Coutinho alimenta o projeto pessoal e inquestionável dentro do PSB de ser o candidato nas eleições municipais deste ano em João Pessoa. Para ele, se tornou uma questão de honra. Uma ideia fixa que não admite qualquer dúvida de correligionários e aliados. Primeiro, Ricardo lançou o nome da atual esposa, a ex-secretária de Estado Amanda Rodrigues, com uma exposição mais acentuada nas rede sociais. Foi uma espécie de balão de ensaio, um teste enquanto não conseguia nenhuma decisão expressiva a seu favor nas instâncias superiores da Justiça, para colocar dúvidas sobre as denúncias da Operação Calvário.

Nesta quarta-feira (5), embora não tenha nada a ver com o mérito do julgamento, a defesa de Ricardo Coutinho conseguiu que o ministro do STF, Gilmar Mendes, acatasse os argumentos de que a tornozeleira eletrônica que monitora os passos do ex-governador estava apresentando problemas. Isso forçava a saída de casa de Ricardo e o expunha a riscos de contágio pelo novo coronavírus. Relator da Operação da Calvário no STF, Gilmar Mendes autorizou a retirada do equipamento até que julgasse o mérito de recursos dos advogados do ex-governador contra decisões do Ministério Público e da Justiça paraibana. Ricardo foi denunciado seis vezes pelo MPBB e o Judiciário já acatou duas delas, tornando-o réu na Calvário.

As outras medidas cautelares, como a obrigatoriedade de ficar em casa, não dormir fora do seu domicílio e ficar impedido de deixar João Pessoa sob qualquer hipótese continua em vigor. Em nota, os advogados do ex-governador tentaram vender a versão que a decisão de Gilmar foi contra "ato desproporcional" adotado contra seu cliente, o que não é verdade. Coisas para a Justiça resolver.

No campo político, Ricardo aproveitou para potencializar em seus perfis pessoais na internet suas ações como prefeito de João Pessoa. Foram várias publicações durante o dia, deixando claro uma estratégia de pré-candidato a prefeito. Caso não haja nenhuma condenação até lá, sim, Ricardo é o nome do PSB. Se houver condenação é bem possível que ele não abra mão do seu projeto político, apostando em instâncias superiores e no histórico de julgamentos de Gilmar Mendes no STF, quando o ministro já concedeu liberdade a vários agentes políticos espalhados Brasil afora.

Ricardo Coutinho na disputa merece uma nova leitura dos pré-candidatos que estão na mídia. O ex-governador pode sofrer um revés inesperado, por conta dos arranhões em sua imagem como gestor, ou pode se tornar uma força de polarização já a partir dessa fase inicial da disputa. Não há dúvida de que a imagem de Ricardo sofreu abalos pela série de denúncias na Operação Calvário que, num momento de crise sanitária como esse que o país enfrenta, ganha uma dimensão ainda maior. A Paraíba descobriu que não tinha leitos para atender pacientes na região metropolitana da Capital e, principalmente no interior do Estado, e que a Saúde foi o alvo principal das investigações para atuação de uma "organização criminosa", segundo o Ministério Público em denúncia acatada pela Justiça, que teria desviado em torno de R$ 134 milhões dos cofres públicos.

Seja como for, o ex-governador conseguiu espaços midiáticos importantes para se manter visível ao eleitorado, pelo bem ou pelo mal.