sábado, 04 de abril de 2020

Edinho Magalhães
Compartilhar:

40 anos de Secretaria

21 de fevereiro de 2020
A Secretaria de Representação Institucional do Governo da Paraíba em Brasília comemora 40 anos de atuação neste mês de fevereiro. A SERI, sigla da secretaria, atua como ponte de ligação entre o Governo do Estado e o Governo Federal, por meio de seus órgãos, autarquias e ministérios, além de promover proximidade com as embaixadas e consulados de países parceiros para desenvolver relações comerciais. Sempre apresentando projetos de viabilidade econômica para os mais diferentes temas.

Segundo o secretário executivo da SERI, Adauto Fernandes, o órgão atua em constante articulação com a bancada federal paraibana e, só no ano passado, conseguiu alavancar quase R$ 160 milhões em recursos federais para projetos estruturantes em toda a Paraíba, nos mais diversos setores, que vão desde saúde, educação e segurança, passando por agricultura e pecuária, eventos e turismo, até estradas e rodovias.

A importância da Secretaria em Brasília está condicionada à importância que o Governo do Estado oferece a ela. Quanto mais estrutura e autonomia o órgão tiver, maiores serão as chances de êxito em sua atuação de representar o nosso Estado na Capital Federal.

O Crime Compensa?

A decisão do STJ em negar provimento ao recurso do Ministério Público Federal contra a liberdade do ex-governador Ricardo Coutinho, repercutiu bastante no Congresso Nacional. Tanto entre parlamentares como entre jornalistas. A reação mais imediata veio dos deputados Pedro Cunha Lima e Julian Lemos, com discursos fortíssimos contra a decisão do STJ.

“No final, o crime parece que compensa e que vale a pena”, disse Pedro Cunha Lima.

Mil Horas

Julian Lemos foi mais incisivo. Da tribuna da Câmara, ele disse que a decisão do STJ estimula a criminalidade. “A permanência em liberdade de um condenado como Ricardo Coutinho, que tem mais de mil horas de gravação como prova, é inadmissível!”

No Coments

Dessa vez não houve ‘bate-boca’ no plenário entre os parlamentares paraibanos. O deputado Gervásio Maia não rebateu as críticas dos adversários. “A vitória no STJ por si só já responde”.

Entre Pai e Filho

E sobre isso, a coluna testemunhou o momento exato de uma conversa entre dois experientes parlamentares do vizinho Estado de Pernambuco: “Gervasinho não precisa comprar a briga de ninguém e tudo que ele sabe e aprendeu deve somente a uma pessoa: seu pai Gervásio!”.

Comissão Mista...

A comissão mista criada para tratar da Reforma Tributária, unificando os principais pontos dos textos que tramitam no Congresso Nacional sobre o assunto, foi instalada esta semana. Como a coluna havia adiantado, o deputado Aguinaldo Ribeiro assumiu a relatoria da comissão.

...em Ritmo de Galope!

Além de Aguinaldo, da bancada federal paraibana, apenas os senadores Veneziano Vital e Daniela Ribeiro, integram a comissão. Eles terão cerca de 60 dias para emitir parecer e submetê-lo a votação. Da comissão, segue para plenário da Câmara para votação em dois turnos e depois mais dois no Senado. O ano é curto. O tempo urge.

Efraim: Reforma do Parlamento

O líder Efraim Filho comentou com a coluna sobre a importância da comissão da Reforma Tributária ter sido instalada. “A instalação da comissão mista faz com que a reforma tenha a cara do parlamento que representa a população. Uma reforma do povo e não do Governo. Importante essa integração entre Câmara e Senado em torno de um texto único.”

Veneziano Defende Universidades

O senador Veneziano Vital protocolou requerimento de informações ao Governo Federal pedindo explicações sobre os critérios adotados para o corte em bolsas de pós-graduação em universidades públicas brasileiras no ano de 2019. “Precisamos entender qual foi o parâmetro do Governo que prejudicou seriamente instituições como a UFCG e a UFPB ”.

 

Relacionadas