segunda, 21 de setembro de 2020

Violência
Compartilhar:

Paraíba já registra mais de 40 estupros em 2015; três somente nesse final de semana

Luana Barros / 09 de novembro de 2015
Foto: Nalva Figueiredo
Os casos de abuso sexual contra mulher na Paraíba preocupam. De Acordo com os dados do Centro da Mulher 8 de Março, este ano já foram registrados 42 casos de estupros no Estado. Somente nesse final de semana foram três, todos na região de Campina Grande. Um deles aconteceu no bairro da Conceição e outro no Distrito de Galante, na Rainha da Borborema . O terceiro caso foi no município de Queimadas.

Uma adolescente de 14 anos chegava da igreja com o companheiro quando os dois foram abordados por homem que os levou para dentro da casa do casal. Já refém, o marido da jovem foi amarrado e esfaqueado no peito. Depois disso, o acusado, Antônio Carlos, levou a garota para outro cômodo da casa e a estuprou várias vezes durante toda a noite.

Os vizinhos ouviram o barulho, prestaram socorro ao casal e chamaram a polícia local. O acusado foi preso e confessou o crime. Ele foi encaminhado para a Cadeia Pública do Município de Queimadas e está a disposição da justiça.

A Delegada Juliana Brasil, do Núcleo da Mulher de Queimadas, revelou que o Antônio Carlos já responde por processos de estupro. Ele é acusado de violentar a esposa do próprio tio. "De fato eles viveram uma noite de terror. Ele foi muito cruel Admitiu ter esfaqueado o rapaz e que teve relações sexual com a jovem", contou.

A moça passou por uma série de exames e o marido dela, que teve o pulmão perfurado, foi levado para o Hospital de Emergência e Trauma Dom Luiz Gonzaga Fernandes, em estado estável.

Em Campina Grande

No bairro da Conceição, em Campina Grande, uma estudante de 27 anos foi assaltada e estuprada no sábado (07). Um homem invadiu a casa da vítima, cometeu o estupro e ainda roubou dois celulares, três notebooks e uma quantia de aproximadamente R$ 200,00.

Em Galante, no domingo (08), uma jovem de 20 anos foi estuprada na frente dos filhos. O suspeito é o sobrinho do marido dela. O abuso à mulher teria sido praticado na frente de duas crianças filhas do casal, uma de quatro anos e outra de cinco. O suspeito do crime ainda foi flagrado pelo tio, mas conseguiu fugir.

O que fazer em caso de estupro?

- Procurar hospitais que tenham serviços de abortos legais e pedir para um profissional do mesmo sexo que você para fazer um exame nas suas feridas e machucados.

- Tomar comprimidos de contracepção de emergência e fazer exame de HIV/AIDS. Para fazer esse exame, a vítima deverá voltar ao serviço de saúde dentro de três a seis meses após o estupro, para ter certeza de que não foi contaminado.

- Pedir ao profissional de saúde para fazer uma lista de tudo que foi encontrado (provas físicas).

- Pedir ajuda ao profissional de saúde sobre onde fazer a denúncia de estupro. Se ele ou ela não souber, vá a algum centro de referência a mulher ou alguma organização. Peça ajuda sobre onde e como denunciar o estupro e onde conseguir ajuda legal para processar o estuprador.

- Se for possível arrumar ajuda psiquiátrica. A vítima precisa de alguém para falar sobre seus sentimentos de medo, mágoa, culpa, raiva e dor. Um psiquiatra pode lhe ajudar a lidar com esses sentimentos. Assim, poderá seguir com sua vida e seus projetos futuros.

Relacionadas