terça, 29 de setembro de 2020

Violência
Compartilhar:

Cresce violência contra a mulher na Paraíba

Ainoã Geminiano / 26 de novembro de 2016
Foto: Ilustração Correio
A Estatística do Registro Civil, divulgada esta semana pelo Instituo Brasileiro de Geografia e Estatística (IGBE), com dados referentes a 2015, revelou que as mortes violentas contra mulheres aumentaram 10% na Paraíba, em relação ao ano anterior. Já o número de homens mortos se manteve no mesmo patamar de 2014. O dado coloca o Estado com o 15º maior índice de assassinato de mulheres do país e o 5º do Nordeste. Em 2015, a média foi de uma mulher morta a cada 27 horas. Os dados foram divulgados um dia antes do Dia Internacional da Não-Violência Contra a Mulher, comemorado nessa sexta-feira.

Para a delegada Renata Matias, da Delegacia de Atendimento à Mulher de João Pessoa, apesar de as pessoas estarem mais conscientes e denunciando mais a violência contra mulheres, lutar contra uma cultura alimentada durante séculos, na qual o homem se sente dono da mulher, é uma tarefa que tempo. "Temos feito todo que é possível para combater essa violência, com delegacias abertas 24 horas, algo que ainda não se encontra em qualquer lugar do país, mas combater esse machismo excessivo, esse sentimento de posse, leva tempo", disse.

Por outro lado, a delegada lamentou que ainda existam casos que não chegam ao conhecimento da polícia e contribuem para a estatística de assassinatos contra mulheres. "O que temos percebido é que a dependência emocional que as mulheres têm dos homens, é mais frequente que a econômica. Situações como essas ainda fazem com que elas não denuncie a violência sofrida e muitos casos graves acabam acontecendo sem que cheguem à polícia", acrescentou.

De acordo com o IBGE, as regiões metropolitanas João Pessoa e Campina Grande concentraram a maior parte dos crimes, com 107 e 47 casos, respectivamente. Na Capital, 68 mulheres foram mortas em 2015. Patos (21 casos), Cajazeiras (13), Esperança (13), Sousa (10) e Guarabira (10) aparecem na sequência.

TJPB fará mutirão para julgar violência contra mulheres

Em comemoração ao 25 de novembro, o Tribunal de Justiça da Paraíba decidiu realizará um esforço concentrado para julgar processos relacionados à violência doméstica. Um montante de 300 processos serão julgados entre a segunda-feira (28/11) até esta a sexta-feira (02/12). "Essa atividade visa despertar as instituições públicas, privadas e a sociedade civil para o grave problema social, que já um problema também de saúde pública, gerado pela violência contra as mulheres. Isso ainda é um grande desafio na área dos direitos humanos no Estado, no Brasil e no mundo", disse a juíza Rita de Cássia Andrade, chefe da Coordenadoria Estadual da Mulher em Situação de Violência do Poder Judiciário.

 

Relacionadas