quinta, 14 de novembro de 2019
Cidades
Compartilhar:

Túmulos de Patos são contados para balanço de vagas

Wênia Bandeira / 11 de julho de 2019
Os túmulos dos cemitérios da cidade de Patos, no Sertão paraibano, estão sendo contabilizados. O objetivo é saber o número de túmulos e de vagas disponíveis para sepultamentos nos quatro cemitérios existentes no município.

O recadastramento começou no maior da cidade, o São Miguel, localizado no bairro Belo Horizonte. No local, são 2.168 túmulos, de acordo com a recontagem, solicitada judicialmente pelo Ministério Público da Paraíba.

O secretário de serviços públicos de Patos, Raniere Ramalho, explicou que agora serão iniciadas o recadastramentos dos cemitérios de Santo Antonio, São Judas, São João Batista e Santa Gertrudes.

“Quando iniciaram os sepultamentos nestes cemitérios, não tinha cadastramento, apenas eram entregues pela prefeitura com doação ‘de boca’, por isso não sabemos quantos são, a quem pertencem e quem está enterrado em cada túmulo”, falou o secretário.

Os proprietários devem procurar a prefeitura e entregar a documentação de propriedade. Para quem não tem o documento, está sendo feito um termo de concessão que precisa apenas de duas testemunhas, documentos pessoais e documentos de dois óbitos.

A expectativa é finalizar o recadastramento em até seis meses, dependendo da entrega da documentação dos moradores. Após a contagem, será possível saber principalmente qual a necessidade da cidade.

“Nós ampliamos o cemitério de Santo Antonio, mas temos um projeto de construção de um novo cemitério. Estamos procurando um local, mas esta é uma das nossas prioridades”, acrescentou Raniere Ramalho.

Além disso, ele declarou que serão realizadas reformas nos existentes para construção de capela, banheiro e almoxarife.

Vagas em falta pelo Sertão

Além de Patos, os moradores das cidades de Sousa e Cajazeiras também passam por dificuldade na hora de sepultar parentes. As prefeituras têm projeto para novo cemitério ou utilizam túmulos em locais particulares.

Em Cajazeiras, são três cemitérios disponíveis - Coração de Maria e Nossa Senhora Aparecida de primeiro e segundo blocos – mas todos antigos. O diretor do setor na cidade, Francisco Marques, falou que a população não deverá encontrar vagas até o final do ano.

“Nós temos um projeto urgente para fazer mais um cemitério. Urgente porque não tem mais onde sepultar, daqui para dezembro não haverá mais onde enterrar as pessoas na cidade”, afirmou.

O novo cemitério deverá ser construído na zona norte. Já em Sousa, o Jardim da Paz é particular, mas há uma área cedida ao município para sepultamento de pessoas carentes, segundo informou o secretário de comunicação, Eugênio Rodrigues.

“O São João Batista é o único público que temos e eles está lotado. Como o particular acabou de ser inaugurado, ainda há muitas vagas disponíveis, então utilizamos uma parte e, quando morre uma pessoa carente, a prefeitura sepulta neste cemitério”, explicou o secretário.

A família precisa apenas comprovar a carência para ter o direito. Com a disponibilidade do particular, não há projeto para construção de um novo.

Relacionadas