quarta, 19 de dezembro de 2018
Cidades
Compartilhar:

Transposição adiada de novo

Fernanda Figueirêdo com assessorias / 27 de setembro de 2016
Foto: Antonio Ronaldo
O Ministério da Integração Nacional anunciou, nessa segunda-feira (26), os editais para recuperação de cinco barragens, que receberão as águas do Projeto de Integração do Rio São Francisco (Pisf). A surpresa é que foram contemplados os açudes Coremas e Mãe D’Água, que não apareciam no ‘caminho da água’, traçado pelo Governo Federal para a o Estado. Além desses, estão Epitácio Pessoa (Boqueirão), Poções e São Gonçalo. A previsão é de que as estruturas físicas do Eixo Leste do projeto sejam entregues em dezembro de 2016 para que a água do rio corra pelos canais ao longo de 2017. Na previsão anterior a água chegaria até abril. Mas, na semana passada, a Agência Nacional de Águas publicou uma resolução autorizando pedido do Ministério da Integração para prorrogar o prazo máximo de início da operação do Pisf para 26 de março de 2018. O documento foi publicado no Diário Oficial da União no dia 21 de setembro. É a terceira prorrogação do prazo da obra, segundo a ANA.

O primeiro prazo foi fixado em 26 de setembro de 2011 pela Resolução ANA nº 411/2005, que outorgou ao Ministério da Integração Nacional o direito de uso de recursos hídricos para a execução da Transposição. A primeira alteração foi autorizada por meio da Resolução ANA nº 37/2012, que estendeu o prazo para 26 de setembro de 2014. A Resolução ANA nº 1202/2014 voltou a estender o prazo para 26 de setembro de 2016.

A nova Resolução incorporou na outorga do PISF as 28 barragens que foram construídas ou aproveitadas nos canais nos Eixos Norte e Leste. São elas: Tucutu, Terra Nova, Serra do Livramento, Mangueira, Negreiros, Milagres, Jati, Atalho, Porcos, Cana Brava, Cipó, Boi I, Boi II, Morros, Boa Vista, Caiçara, Areias, Braúnas, Mandantes, Salgueiro, Muquém, Cacimba Nova, Bagres, Copiti, Moxotó, Barreiro, Campos e Barro Branco.

A Resolução ANA nº 1.133/2016 também atualizou a relação dos pontos onde o Ministério da Integração Nacional deverá instalar e manter em funcionamento equipamentos de monitoramento de níveis e vazões e dos pontos de entrega de água do PISF para os estados receptores, conforme listados na Resolução.

 

Relacionadas