segunda, 18 de janeiro de 2021

Transporte
Compartilhar:

Consórcio metropolitano começa a operar emergencialmente neste sábado

Aline Martins / 25 de fevereiro de 2017
Foto: Nalva Figueiredo
“Não tinha mais condições andar de ônibus em Bayeux. Eram todos quebrados”, afirmou a dona de casa, Estelita Ferreira, de 59 anos, que sempre utiliza o transporte coletivo para se deslocar até a capital paraibana. Mas agora a moradora terá motivos para usar o ônibus sem medo. É que começou a funcionar a partir de hoje o consórcio metropolitano que vai operar as linhas de transporte intermunicipal de passageiros entre Bayeux e João Pessoa. Serão 31 ônibus novos e seminovos. No entanto, para ter acesso a esse transporte o passageiro terá que desembolsar um pouco mais para pagar a passagem que passou de R$ 2,70 para R$ 3.

O superintendente do Departamento de Estradas de Rodagens, Carlos Pereira, comentou que muitos passageiros reclamavam dos serviços de transportes prestados na cidade. “Na semana passada, o DER, através do seu conselho executivo, resolveu cassar a licença da Metro porque ela não tinha a menor condição de satisfazer as necessidades do povo de Bayeux. Em contato com as quatro empresas que atuam na região metropolitana de João Pessoa, ou seja, Jacumã, Santa Rita, Bayeux – Das Graças e a de Cabedelo, eles formaram um consórcio. O DER aprovou e estamos apresentando a nova frota que começa a funcionar a partir da zero hora deste sábado”, pontuou.

Ainda de acordo com Carlos Pereira, além de operar as linhas, o consórcio se comprometeu a construir 30 novos abrigos de ônibus ao longo do percurso das linhas. Disse ainda que a concessão foi dada em caráter emergencial, mas que será realizada uma nova licitação para contratar a empresa que atuará em Bayeux.

“Fizemos isso anteriormente, mas ninguém se interessou. Agora vamos fazer de acordo com a recomendação da promotora Fabiana Lobo. Isso demora entorno de 10 meses e só depois de contratada a nova empresa é que o consórcio deixa de funcionar. Ele poderá concorrer a essa licitação”, afirmou, acrescentando que foi necessário reajustar a passagem para poder manter o transporte.

O consórcio é integrado pelas empresas Reunidas, Santa Maria, Santa Rita e Das Graças. De acordo com o representante do Consorcio Metropolitano, Alberto Pereira Nascimento, dos 31 ônibus, 27 são adaptados para cadeirantes. “A gente espera que a população de Bayeux tenha um serviço de qualidade que a população merece”, frisou, acrescentando que todas as linhas que vão operar na cidade já existiam. “Nós vamos iniciar com o mesmo itinerário, mas nós já contatamos a nossa equipe para a partir da próxima semana dá uma melhorada. Vê se pode modificar o itinerário para poder servir melhor a população”, comentou. Os passageiros também terão garantidos seus direitos de gratuidades conforme a legislação vigente, cumprindo rigorosamente o quadro de horários estabelecidos pelo DER/PB.

Segundo o governador Ricardo Coutinho, a mudança no transporte em Bayeux foi necessária. “Há tempos que o Departamento de Estradas de Rodagens, o DER, que é o responsável pelo transporte metropolitano, já vinha se debruçando no sentido de dar ao povo de Bayeux uma locomoção mais segura, mais nova e que garantisse direitos básicos dos passageiros. Nós estamos entrando em um consórcio de quatro empresas. Essa frota é jovem, tem 4 anos e meio. Daqui a 45 dias entra vários ônibus novos, fazendo com que essa idade média ela caia porque esse é um objetivo fundamental. Em todas as linhas há sempre renovação”, frisou.

Transporte alternativo. Uma das reclamações dos donos de empresas que operar em cidades como Bayeux é a questão do transporte clandestino que ainda não é regulamentado. Carlos Pereira, que também é presidente do Conselho Gestor do Transporte Complementar, informou que de 15 em 15 dias há reuniões para definir o tipo de transporte que também poderá operar nessas cidades. “O que não pode é interferir nas linhas de ônibus porque se não cria uma concorrência desleal já que não pagam impostos”, frisou, acrescentando que assim que o Departamento aprovar o novo tipo de transporte complementar serão definidos os locais onde vão atuar.

Relacionadas