segunda, 19 de abril de 2021

Trânsito
Compartilhar:

Semob identifica veículos clonados ou roubados em João Pessoa

Redação / 21 de setembro de 2018
Foto: Reprodução
Nos últimos 15 dias, quando foi realizada a fase de teste, o programa João Pessoa Segura identificou uma média diária de 50 veículos suspeitos de roubos ou clonagem em circulação na Capital. O programa, que foi lançado nessa quinta-feira (16) pela Prefeitura Municipal (PMJP) é executado pela Superintendência de Mobilidade Urbana (Semob-JP) e, através de um sistema de reconhecimento óptico de caracteres para identificar as placas dos automóveis, auxilia órgãos de segurança. Na fase de testes, o sistema ainda não fez a triagem para eliminar registros repetidos do mesmo veículo em pontos diferentes. Por isso, é possível que um automóvel tenha sido captado várias vezes pelos 48 pontos em que os sensores estão espalhados pela cidade.

O equipamento é chamado de OCR. Trata-se de sensores que reconhecem as placas dos veículos com restrições de roubo e furtos no Sistema Nacional de Controle de Veículos. Eles formarão um cerco eletrônico por onde circulam mais de 600 mil veículos. Após a identificação do veículo, o OCR emite uma alerta para a Central de Operações de Trânsito e Transporte (COTT) da Semob-JP, que aciona os órgãos de segurança repassando todas as informações.

De acordo com o secretário municipal de Segurança Urbana e Cidadania, sargento Denis, a ação é mais uma forma de cumprimento da Lei 13675/2018, a Lei do Susp, Sistema único de Segurança Pública. “A Lei prevê a divulgação e o compartilhamento de informações entre os órgãos em favor da segurança pública e é isso que o programa traz. Queremos fazer a nossa parte sem tomar o lugar e as competências dos ouros órgãos”, explicou.

O programa João Pessoa Segura trabalhará repassando as informações para órgãos de segurança da esfera local, estadual e federal, com as quais serão realizados convênios cooperativos. O trabalho pretende ser realizado em parceria com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), Gaeco (Grupo de Atuação Especial contra o Crime Organizado), Ministério Público Estadual, Detran, Polícia Civil e Polícia Militar, além da própria Guarda Municipal.

Relacionadas