segunda, 20 de maio de 2019
Trânsito
Compartilhar:

PRF registra 123 acidentes com caminhões em rodovias federais apenas este ano

Aline Martins e Katiana Ramos / 21 de setembro de 2017
Foto: Rafael Passos
Este ano foram registrados 123 acidentes envolvendo caminhões nas rodovias federais que cortam a Paraíba, segundo levantamentos da Polícia Rodoviária Federal (PRF). Além das infrações de trânsito, o descuido da saúde dos caminhoneiros são vilões que contribuem para o risco de acidentes nas estradas. Nos últimos Comandos de Saúde realizados pela PRF.

Caminhoneiros há mais de 30 anos, os amigos Ademar Nascimento e Carlos Abrantes praticamente passam o ano sem ir a uma consulta médica. Os dois garantem que têm boa saúde, revelam não ter vícios e se alimentam bem. “Não me arrisco em dirigir a noite. Sempre paro em um posto ou outro ponto seguro para um descanso. Mas, é muito difícil ir ao médico. Quando você vai, eles dizem que a pessoa está cheio de doença”, brincou Ademar Nascimento, que viaja apenas pelo interior da Paraíba.

Carlos Abrantes também é do time que não procura os médicos com freqüência e prioriza o descanso noturno entre uma viagem e outra. Contudo, ele revela que já viu muitos colegas adoecerem e até não resistirem ao cansaço das jornadas.

“Já teve colegas nossos que morreram praticamente dentro do caminhão, de infarto, por conta do estresse, do cansaço. É uma vida muito sofrida, arriscada. Então, muita gente se dedica muito ao trabalho, tem pressão alta e não toma os remédios, se alimenta mal, não dorme. Por isso, acontece o pior, como os acidentes”, comentou o caminhoneiro.

Nos Comandos de Saúde realizados pela PRF os caminhoneiros são avaliados por médicos e outros profissionais de saúde de maneira voluntária. Além dos problemas de visão, hipertensão e sobrepeso, a carga horária excessiva, que provoca afadiga; a hiperglicemia (açúcar no sangue) e o tabagismo também são anomalias encontradas nessas ações.

Balanço

Em relação aos acidentes envolvendo caminhões este ano, o número de feridos 31 ficaram feridos, sendo que desses 21 foram leves e 10 graves. Além disso, 107 não tiveram nenhuma lesão e cinco pessoas morreram. A Polícia Rodoviária Federal alerta os condutores para o cumprimento das normas de trânsito para evitar acidentes. “Os motoristas observem as sinalizações para evitar os acidentes porque na sinalização tem indicando a situação das estradas se há estreitamento, se tem obstáculo e os limites de velocidade. O restante é só o comportamento do motorista e manter a distância segura”, aconselhou o assessor da PRF, Genésio Vieira.

Frota antiga e salário baixo

A última pesquisa divulgada pela Confederação Nacional do Transporte (CNT), divulgada em 2016, revelou que o perfil do caminhoneiro brasileiro é de profissionais com média de 18 anos de profissão e mais de 44 anos de idade e que dirigem com frota de veículos envelhecida. Além disso, o estudo revelou ainda que os profissionais têm renda mensal baixa e sentem falta de pontos de apoio para cumprir o que determina a Lei dos Caminhoneiros, sobre os intervalos para descanso. Outro dado da pesquisa é que 26,5% dos caminhoneiros admitiram usar algum tipo de droga.

Relacionadas