terça, 11 de dezembro de 2018
Trânsito
Compartilhar:

Paraíba registra 484 casos de atropelamento apenas neste ano

Aline Martins e Wênia Bandeira / 19 de junho de 2018
Foto: Nalva Figueiredo
A desatenção e a pressa se reflete no número de acidentes e na quantidade de atendimentos registrados nos hospitais. No ano passado, o Hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena, em João Pessoa, registrou 1.136 atendimentos por atropelamentos. Este ano, o número já chega a 484 (42,61%) até as 10h dessa segunda-feira (18).

Além da Capital paraibana, que lidera nas estatísticas, outros municípios que constam no ranking são os da Região Metropolitana como Santa Rita, Bayeux e Cabedelo. Mangabeira, em João Pessoa, é o bairro que registra a maior quantidade de ocorrências. Em 2017, 10% do total de atropelamentos registrados pela Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana (Semob) aconteceram no bairro.

De acordo com a chefe da Divisão de Educação da Semob, Gilmara Branquinho, para que se evitem os atropelamentos é necessário seguir algumas dicas de prevenção. Como o pedestre é o mais vulnerável no trânsito, a atenção precisa ser redobrada. As regras fundamentais são transitar sempre pela calçada e em locais onde não exista o passeio, a orientação é no bordo da via, em fila única e no sentido contrário ao fluxo de veículos. Já para atravessar a via, os pedestres devem procurar as faixas de pedestres.

No entanto, mesmo na faixa, é necessário seguir dicas primordiais. “Primeiro é se colocar ainda na calçada e não na faixa. Ficar em um ponto que seja visto pelo motorista. Nesse ponto fazer um sinal com os braços, como faz para pedir a parada do ônibus, e pedir a parada do veículo. É um gesto simples, mas que as pessoas precisam se acostumar. Depois desse gesto, esperar a parada dos veículos. Se tiver três faixas observem cada uma e principalmente os corredores, pois passam muitos motociclistas, só depois passar”, frisou.

Nas rodovias, o pedestre deve utilizar as passarelas. Se não houver, Gilmara informou que se deve caminhar pelo acostamento e no sentido contrário do fluxo dos veículos. Outra dica é evitar atravessar perto a esquinas e ladeiras, pois esse ponto é de difícil visibilidade do condutor.

Caso ele precise frear pode causar acidentes. Já para os motoristas, a atenção deve ser redobrada em locais onde há sinalização de faixas de pedestres, pois nesses locais sempre existe uma indicação da passagem de pedestre. Fora isso, o condutor também precisa dá prioridade a alguns tipos de pedestres. Perto de escolas, a velocidade é sempre menor por conta da fluxo de estudantes e pais dos alunos.

Relacionadas