terça, 13 de novembro de 2018
Trânsito
Compartilhar:

Falta fiscalização e motoristas ocupam espaço de ciclistas

Aline Martins / 21 de abril de 2018
Foto: Nalva Figueiredo
“Parei rapidinho só para resolver um problema e como estava chovendo quis parar perto do local que iria, mas sei que é proibido estacionar na ciclovia. Inclusive já fui multado por isso”, comentou o servidor público Itamar Brandão. Além dele, o CORREIO DA PARAÍBA flagrou outros veículos (carros e caminhões) estacionados nos trechos de ciclovia nos bairros de Mangabeira, Valentina de Figueiredo e Ipês, em João Pessoa. Os artigos 181 e 193 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB) proíbem o trânsito e o estacionamento nessa área. No entanto, na prática o desrespeito se tornou comum não apenas durante o dia, mas também à noite. Segundo as pessoas que utilizam bicicleta, comerciantes e ambulantes instalam barracas nessas áreas exclusivas.

Em vários trechos das ciclovias no Valentina de Figueiredo o desrespeito é frequente. Somente no momento que a reportagem passou contou 15 carros e caminhões estacionados na via para bicicletas. A ausência de fiscalização contribui para o descumprimento das normas. O morador Ivanildo de Oliveira comentou que diariamente encontra carros parados, impedindo a passagem. “Eu uso bastante a bicicleta para o deslocamento aqui no bairro e vejo como é ruim porque sempre tem um carro parado e a gente tem que ir para o meio da rua”, frisou. Mesmo sabendo que é proibido ainda há quem arisque descumprir como o funcionário público Itamar Brandão que estacionou na ciclovia. “Como eu também moro no bairro a gente acaba sem querer descumprindo”, afirmou.

Para o coordenador do grupo de passeio ciclístico Pedal Jampa, André Nascimento, a falta de educação das pessoas é um dos motivos de se utilizar de maneira incorreta a ciclovia. “Tem vendedores colocando carrinhos de milho e de pipoca no meio da ciclovia. Vemos isso quando estamos passando. A ciclovia é para a recreação humana”, frisou. No entanto, fora o comércio irregular, ainda há a problemática do uso das ciclovias. Além dos usuários de skate, patins e bicicleta, alguns pedestres caminham, mesmo sendo proibido.

Na Avenida Tancredo Neves, no bairro dos Ipês, de uma ponta a outra, embora exista uma ciclovia, a função real deixou de existir. Hoje está servindo de estacionamento. “Os comerciantes tomaram conta e até então não teve nenhum iniciativa do poder público. É necessário fazer uma reurbanização da área, colocaram entulhos e fogueiras há muitos anos”, frisou.

João Pessoa tem 49 quilômetros de ciclovia

João Pessoa conta com 49 quilômetros de ciclovia em operação. A mais recente em construção é a da Avenida Ministro Américo de Almeida (Beira-Rio). São 5,3 quilômetros ainda não oficialmente entregues. De acordo com o superintendente de Mobilidade Urbana Adalberto Araújo, a ampliação da malha cicloviária está inclusa no Plano Diretor de Mobilidade Urbana (Planmob), que agora está na fase de pesquisa dos destinos e modal de deslocamento da população. “Após a conclusão do Planmob será definido o sistema cicloviário a ser implementado na nossa cidade”, afirmou. O CORREIO DA PARAÍBA procurou a Semob para obter mais informações sobre o assunto, mas até o fechamento desta edição não houve retorno com respostas.

O que diz a lei

Artigo 193 - Transitar com o veículo em calçadas, passeios, passarelas, ciclovias, ciclofaixas, ilhas, refúgios, ajardinamentos, canteiros centrais e divisores de pista de rolamento, acostamentos, marcas de canalização, gramados e jardins públicos é considerada infração gravíssima e gera multa.

Artigo 181 - Estacionar no passeio ou sobre faixa destinada a pedestre, sobre ciclovia ou ciclofaixa, bem como nas ilhas, refúgios, ao lado ou sobre canteiros centrais, divisores de pista de rolamento, marcas de canalização, gramados ou jardim público é infração grave e gera multa e remoção do veículo;

Passeio ciclístico no dia 29

No próximo dia 29 de abril, haverá um passeio ciclístico para lembrar o Abril Verde, que é o mês de conscientização a prevenção dos acidentes de trabalho. O evento começa às 7h e sai da Praça da Independência em direção ao Busto de Tamandaré.  A inscrição é a doação de dois quilos de alimentos que serão destinados ao centro espírita Nosso Lar e o abrigo de idosos Amém, segundo contou André Nascimento do Pedal Jampa.

Relacionadas