domingo, 28 de fevereiro de 2021

Trânsito
Compartilhar:

Extintor pode voltar a ser obrigatório em veículos; bombeiro explica importância

Rammom Monte / 22 de junho de 2017
Foto: Assuero Lima
A Comissão de Viação e Transportes voltou a aprovar recentemente a inclusão, entre os equipamentos obrigatórios dos veículos, do extintor de incêndio com carga de pó ABC. Os extintores iriam se tornar obrigatórios em 2015. Porém, duas semanas antes de entrar em vigor, a obrigatoriedade foi revogada pelo Conselho Nacional de Trânsito (Contran). Mas até que ponto o equipamento é importante? O tenente-coronel Macena do Corpo de Bombeiros Militar da Paraíba afirmou que essa decisão pode salvar vidas. Comente no fim da matéria.

“Este tipo de extintor de incêndio serve para os 3 a 5 primeiros minutos, em princípios de incêndios. O equipamento tem a comprovada eficiência, de acordo com todos os órgãos de segurança, para os primeiros minutos, e também pode servir para referência em apoio a incêndio a outros veículos na rua. Como bombeiro, defendo que deveria ter”, explicou.

Ainda de acordo com o tenente-coronel, engana-se quem pensa que o equipamento sirva só para os carros.

“O extintor de um carro serve de referência para qualquer pessoa que possa usar qualquer extintor em qualquer lugar. Quando se tornar obrigatório, qualquer lugar que a pessoa veja um carro saberia que teria o extintor de incêndio. Então passaria a ser um difusor de elementos de primeiro momento para combater o incêndio. Isto aumentou as chances do ser humano poder socorrer alguém. Não é para só o carro, mas todas as outras coisas”, disse.

Apesar da importância, o manejo ainda é uma dificuldade para muitas pessoas, como a pedagoga Germanda Catherine, que disse que tem o equipamento em seu carro, mas que se precisar não saberia como usá-lo. De acordo com o tenente-coronel Macena, a forma de combater incêndios deveria ser ensinada desde a escola, passando pelo Centros de Formação de Condutores.

“A campanha é permanente e baseada em três princípios. Há a obrigatoriedade para tratar de educação no trânsito, que deveria ser ensinado na escola. Hoje no Brasil não existe uma tratativa governamental para obrigar uma matéria na escola capacitando os professores para ensinar os alunos o combate ao incêndio. A segunda é que vários órgãos de segurança e DETRAN, cobram, para a retirada de CNH, que tenha horas mínimos de aula na autoescola, dentro as quais deverão participar de aula de principio de incêndio com uso de extintor, mas eu particularmente não tive isto. A terceira é que os bombeiros são signatários de normas que fazem com que a população brasileira passe a ter conhecimento do uso do extintor. Mas para que os bombeiros atinjam o objetivo, precisaria que todo mundo tivesse esta tratativa desde escola e as autoescolas. Infelizmente, somos quase 200 milhões de pessoas e pouca gente se diz capaz de combater incêndio, diferente de outros países. Precisa de educação para usar”, finalizou.

O que a população acha da decisão?

“Eu discordo. Aquilo só serve para o Detran-PB 'comer' mais dinheiro na vistoria.  Não conheço ninguém que já tenha precisado”, Lucas Miranda, engenheiro químico.

“Deveria botar isso na conta das montadoras. Tipo, a partir de 2020, todo carro deve sair com isso de fábrica. Como fizeram com airbag e ABS”, Ícaro Brito, relações públicas.

“Tecnicamente eu não sei dizer direito, mas pra mim, é jogo de empresários. Que nem fizeram com as tomadas”, Rafael Chaves, músico.

“Eu concordo. É necessário ter extintor em todos os veículos, pois é de grande utilidade caso venha precisar apagar algum foco de incêndio causado por acidentes. Mas seria necessário também vir um jornal explicativo de como utilizar caso precise, pois muita gente não sabe manusear de forra correta”, Philipe Gregório, farmacêutico.

Relacionadas