quinta, 27 de junho de 2019
Tragédia
Compartilhar:

Familiares, amigos, artistas e fãs se despedem de GD

Amanda Gabriel, Alexandre Freire, Alisson Correia, Nice Almeida, Rammom Monte e Beto Pessoa / 29 de maio de 2019
Foto: Assuero Lima/Nalva Figueiredo
Fãs, familiares, amigos e artistas de todo o País estiveram em João Pessoa para se despedir do cantor Gabriel Diniz, sepultado nessa terça-feira (29) no cemitério Parque das Acácias, no bairro José Américo. GD, como era conhecido o artista, morreu na tarde da última segunda-feira, após queda do avião monomotor em que viajava.

O último adeus ao cantor começou cedo. No Ginásio Poliesportivo Ronaldão, onde Gabriel Diniz foi velado, milhares de fãs paraibanos e de outros Estados acompanharam a cerimônia, que contou com familiares e também amigos do cantor. A missa de corpo presente, que seria às 15h, acabou sendo antecipada para às 14h. Ela foi celebrada pelo padre Luiz Carlos, da paróquia do bairro do Cristo Redentor, em João Pessoa, que durante a homenagem falou da alegria de GD.

“Gabriel nos deixou muito jovem e cheio de vida. Eu nasci e me criei em João Pessoa, sou padre há 14 anos e confesso que não vivo nas redes sociais, mas comecei a olhar e vi quanta vida e alegria Gabriel tinha. Deus, de algum modo, fez chegar às redes sociais e deixou seu legado de vida e de esperança. Hoje, resta saudade dos pais, dos amigos… O amor que fica. Fica o amor, a recordação… Não dá para explicar tudo. Medicina, Ciência, Filosofia não explicam tudo. A gente só leva dessa vida o bem que se faz aos outros”, disse o padre durante a celebração.

O pai de Gabriel Diniz, Francisco Cizinato Diniz, pediu que GD seja sempre lembrado com alegria. “Não devemos pensar nele com tristeza, e sim com a alegria de alguém que tinha uma forma diferente de fazer música. Quero agradecer aos fãs. Acho que 70% está nas costas dos fãs e quero agradecer a vocês que sempre incentivaram Gabriel; agradecer o apoio que dão ao artista. Fica aqui meu agradecimento e a certeza que ele está num lugar bacana, com Deus, pela qualidade de pessoa que ele era”.

Um dos artistas presentes na missa foi o cantor Wesley Safadão, que lamentou a perda do amigo e cantou uma música para ele. “Não consigo explicar o que sinto no coração desde que vi GD a primeira vez. Vi um cara diferenciado. Agradeço a Deus por ter feito parte da vida dele e da história. Gabriel, quando soubemos da notícia ficamos sem querer acreditar, e Deus sabe todas as coisas. Se eu já achava ele especial agora acho ainda mais”, disse.

Safadão ainda relembrou momentos com o cantor. “Nas últimas vezes que a gente se encontrou, o que ele falava era: ‘oi, chegou a minha vez. Vou trabalhar, mas ainda vou realizar meus sonhos’. Da última vez ele falou que tava construindo a casa dele com alegria. Ele era um cara diferenciado! Todas as pessoas que falarem dele vão falar com alegria. Sabia levar a vida com leveza”, disse na missa.

“Gabriel, meu amigo, você vai fazer muita falta. Sempre será lembrado pelo sorriso e alegria e por tudo que fez por nós. Gostaria de homenagear não só com palavras, mas como ele mais gostava que era cantando”, finalizou Safadão, cantando a música ‘Paraquedas’.

Xand Avião também esteve na missa e lembrou do bom humor, mas também da seriedade do artista. “Gabriel era um cara que animava meus aniversários. Quando a coisa estava séria, eu chamava Gabriel que ele resolvia tudo. Nunca imaginei que o último beijo seria desse jeito. Tá ruim, tá doendo, mas ele tá sempre com a gente porque ele viveu a vida intensamente, viveu cada segundo com a ousadia dele”, disse.

Mano Walter também esteve na missa e aproveitou o momento de homenagens para expressar os sentimentos por GD. “Eu sempre falei para ele que ele era um cara que se dava bem com todo mundo; onde andava, encontrava ele com esse sorriso de energia e alegria. Um cara que transmitia coisa boa. Pena que não vou ter mais você pra gente cantar no camarim, pra gente cantar e dançar”, lamentou.



Fãs acompanham o cortejo



Nascido em Campo Grande, capital do Mato Grosso do Sul, o cantor Gabriel Diniz tinha raízes na Paraíba, por ser filho de paraibanos, e recebeu em fevereiro deste ano o título de cidadão paraibano na Assembleia Legislativa.

O velório começou bem cedo, por volta das 5h, apenas para amigos e familiares, e depois das 8h, os portões do Ronaldão foram abertos para que o público tivesse acesso à cerimônia. Antes dos portões serem abertos, uma longa fila se formou do lado de fora do ginásio. A Polícia Militar e a Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana (Semob) montaram esquemas especiais de segurança e trânsito para auxiliar o público no ginásio.

Durante o velório, as pessoas deixam terços, incontáveis coroas de flores foram enviadas de vários lugares e músicos da banda que ele fez parte antes da carreira solo também estavam inconsoláveis. O caixão foi coberto com a bandeira da Paraíba.

Após cerimônia, o corpo de Gabriel Diniz seguiu, por volta das 16h, em cortejo pelas ruas de João Pessoa, levado em carro aberto pelo Corpo de Bombeiros até o cemitério Parque das Acácias, onde foi sepultado. A cerimônia foi fechada aos familiares e amigos, mas uma multidão homenageava cantor no lado de fora do cemitério.

Horas antes do início do sepultamento, centenas de pessoas aguardavam a chegada do cortejo em frente ao Parque das Acácias. O mesmo foi visto em todo o trajeto até o cemitério. Nas calçadas do bairro do Cristo e José Américo, onde o cortejo cruzou, a população jogava flores e deixava seu último adeus a Gabriel Diniz.

Pilotos. O corpo do piloto Abraão Farias foi sepultado por volta das 17h de ontem no Memorial Parque Maceió, no bairro do Benedito Bentes, em Maceió. Linaldo Xavier, copiloto, foi sepultado no cemitério público do povoado Tingui, na zona rural de Água Branca, Sertão alagoano.

Destroços do avião são retirados do mangue



Gabriel Diniz morreu na última segunda-feira (27), após queda de monomotor, cujos destroços foram retirados ontem da região de mangue onde caiu para serem periciados. O cantor estava acompanhado de Linaldo Xavier e Abraão Farias, pilotos e diretores do Aeroclube de Alagoas. Eles faziam o trajeto entre Salvador e Maceió, para onde Diniz viajava para comemorar o aniversário da namorada, Karoline Calheiros. A aeronave caiu no povoado Porto do Mato, em Estância, Sul de Sergipe. O corpo do cantor foi liberado às 21h do Instituto Médico Legal de Sergipe (IML), em Aracaju, e chegou por volta de 3h30 ao aeroporto Castro Pinto, na Grande João Pessoa.

As vítimas estavam em um avião de modelo PA-28-180, prefixo PT-KLO, fabricado em 1974 e pertencente ao Aeroclube de Alagoas, que informou que GD pegava uma carona entre Salvador e Maceió naquela aeronave. O avião não tinha permissão para fazer táxi-aéreo. Diante do ocorrido, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) suspendeu cautelarmente as operações do Aeroclube de Alagoas e interditou as nove aeronaves pertencentes à empresa.

A Agência abriu um processo administrativo para apurar possíveis irregularidades em relação à operação da aeronave acidentada. A apuração verificará em quais condições estava sendo feito o transporte de passageiro em aeronave de Instrução, categoria destinada a voos de treinamento. Após a conclusão da investigação ou mesmo durante o andamento do processo administrativo instaurado, os responsáveis poderão ser multados e ter licenças e certificados cassados.

Além da aplicação de sanções administrativas, a Anac pode encaminhar denúncia ao Ministério Público e à polícia para que sejam tomadas medidas no âmbito criminal. Segundo dados do Registro Aeronáutico Brasileiro (RAB), a aeronave estava com o Certificado de Aeronavegabilidade (CA) válido até fevereiro de 2023 e a Inspeção Anual de Manutenção (IAM) em dia até março de 2020.

O modelo é um monomotor com capacidade máxima de 3 passageiros mais a tripulação, totalizando 4 assentos. As investigações sobre as causas do acidente estão sendo conduzidas pelo Segundo Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa II), de Pernambuco (PE), órgão regional do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), do Comando da Aeronáutica.

A ação inicial é o começo do processo de investigação e possui o objetivo de coletar dados: fotografar cenas, retirar partes da aeronave para análise, reunir documentos e ouvir relatos de pessoas que possam ter observado a sequência de eventos. A investigação do Cenipa tem o objetivo de prevenir que novos acidentes com as mesmas características ocorram. Não há prazo para as investigações terminarem.

Maior são joão do mundo



Este ano Gabriel Diniz deverá ser homenageado no São João de Campina Grande, onde ele se apresentou nos últimos seis anos e este ano estava na programação do dia 30 de junho. GD tocou em diversas bandas de forró, quando ganhou visibilidade em todo Nordeste. O sucesso nacional veio no segundo semestre do ano passado, com “Jenifer”, hit do Carnaval deste ano.

 

Relacionadas