segunda, 24 de junho de 2019
Cidades
Compartilhar:

Sistema de agendamento para solicitar RG apresenta problemas em Campina Grande

Wênia Bandeira / 19 de outubro de 2017
Foto: Chico Martins
O sistema de agendamento para solicitar a primeira ou segunda via da carteira de identidade está causando reclamações da população de Campina Grande. Os interessados dizem estar enfrentando problemas pela falta de vagas disponibilizadas pela Casa da Cidadania e a direção garante que existem 500 vagas semanais, mas aponta problemas com outros órgãos.

A professora Adriana Silva está há seis meses acessando o site de agendamento periodicamente e sem conseguir marcar para que seus filhos, José Claudiano, 16 anos, e os gêmeos Adriele e Alexandro, 13, possam ter o documento. “Não consigo marcar e não consigo fazer o cadastro porque sempre está fora de sistema ou congestionado. Estou desde abril tentando e nada de conseguir”, contou Adriana. Ela falou que vem tentando em vários horários e por horas seguidas. “É um documento que eu quero muito que eles tenham para parar de ficar andando com registro de nascimento. Eles precisam para movimentar conta no banco e para vários outros momentos”, acrescentou.

Adriana ainda salientou que foi algumas vezes até a Casa da Cidadania, mas foi mal atendida pelos funcionários do local. A reclamação também foi feita pelo motorista Max Delman, que há dois meses busca atendimento para sua mãe Dulce Telma Andrade, 62 anos. “Minha mãe pega um remédio para pressão na farmácia que é de graça, mas a farmácia disse que precisa ser o mesmo nome e o dela está com nome de solteira na carteira. Minha mãe foi até lá e foi tratada com grosseria, como se tivesse pedindo alguma coisa muito errada”, falou. Ele disse que tentou marcar o atendimento de manhã, de tarde, de noite e até de madrugada, sem resposta.

O gerente operacional da Casa da Cidadania, Anderson Almeida, explicou que desde o início deste mês, os agendamentos estão acontecendo todas as segundas-feiras, às 8 horas. Até então, a marcação acontecia mensalmente. “Nós tínhamos 35% de ausência porque aparecia outro compromisso ou a pessoa que marcou esquecia. Agora estamos com apenas 2% de faltosos”, comentou Anderson. De acordo com ele, a procura está maior que a demanda e isso se deve às pessoas que veem de outras cidades. “São 65% de pessoas vindas de outras cidades que podiam fazer em suas cidades. A nossa demanda é para atender a 400 mil habitantes de Campina Grande, mas não podemos negar atendimento a quem vem de outras cidades. Além disso, sem legislação alguma indicando, os bancos não estão aceitando identidade com mais de dez anos de expedição. Isso pressiona o pessoal que precisa de uma prioridade para resolver seus problemas de recebimento de pagamentos, por exemplo, mas não temos como dar prioridade”, falou. Ele informou que idosos, pessoas enfermas e quem tem viagem marcada tem prioridade no atendimento. Este último, no entanto, apenas se já tiver marcado e não foi atendido em razão do sistema estar fora do ar.

Antivírus

A direção da Casa da Cidadania ainda declarou que as falhas no sistema são causadas por antivírus que travam o site quando há ameaças a segurança das pessoas. O agendamento de atendimento para solicitar o documento acontece desde o dia 2 de janeiro de 2016.

Relacionadas