terça, 19 de janeiro de 2021

Seca
Compartilhar:

Em 60 dias Boqueirão receberá águas do São Francisco

Redação com Assessoria / 22 de fevereiro de 2017
Foto: Divulgação
A contar do próximo dia 6 de março, as águas da Transposição do Rio São Francisco estarão chegando no Açude de Boqueirão (Açude Presidente Epitácio Pessoa) em 45 dias. É o que garantiu, nesta terça-feira (21), o secretário nacional de Infraestrutura Hídrica do Ministério da Integração Nacional, Antônio de Pádua de Deus Andrade, durante uma reunião técnica com o ‘Comitê de Gestão da Crise Hídrica na Paraíba’ do Ministério Público da Paraíba (MPPB), presidido pelo procurador-geral de Justiça, Bertrand de Araújo Asfora.

Na reunião técnica, ocorrida nas dependências da Promotoria de Justiça de Monteiro, os representantes da Companhia de Águas e Esgoto da Paraíba (Cagepa) também informaram que, assim que a água chegar em Boqueirão, o racionamento de água nos finais de semana na região de Campina Grande deverá ser suspenso de imediato. “São excelentes notícias (...) Esta é uma obra de um país, de uma gente, que vai mudar a realidade da Paraíba e do Nordeste”, destacou o procurador-geral Bertrand Asfora, ressaltando: “O Ministério Público está engajado nessa luta, acompanhando as obras complementares de nossa responsabilidade e a Paraíba estará preparada para receber as águas (...) A Paraíba não fará nenhuma vergonha”.

Acompanharam o procurador-geral Bertram Asfora na reunião os procuradores de Justiça Valberto Cosme de Lira e Francisco Sagres Macedo Vieira, integrantes do Comitê da Crise Hídrica; e assessores da administração e do setor de engenharia e arquitetura do MPPB. Participaram do encontro com o secretário nacional representantes de prefeituras, da Cagepa, da Agência Executiva de Gestão das Águas (Aesa), do Departamento Nacional de Obras contra a Seca (Dnocs) e da Fundação Nacional da Saúde (Funasa). “Esta é uma semana decisiva e o Ministério Público está com a disposição de intensificar sua presença na região de Monteiro, até esta água chegar”, disse Bertrand Asfora, agradecendo à presença do secretário nacional e de sua equipe de técnicos em Monteiro.

Por sua vez, o secretário Antônio de Pádua agradeceu ao convite feito pelo Ministério Público para participar da reunião do Comitê da Crise Hídrica. “Só tenho a agradecer ao Ministério Público da Paraíba por se envolver e ajudar na resolução dos problemas”, disse, reafirmando que o governo federal irá inaugurar a chegada das águas na Paraíba no próximo dia 6 de março. “Serão inauguradas quatro estações elevatórias e, em Monteiro, duas bombas vão começar a lançar 13 metros de água por segundo no canal que levará a água do São Francisco para o Açude de Camalaú, depois para Poções e, após 45 dias, chegar a Boqueirão”.

“Estamos focados na obra. Estamos com todas as nossas equipes trabalhando 24 horas, já que obra que não tem problema é obra que não foi iniciada”, destacou, acrescentando: “Estou nos últimos seis finais de semana dentro da obra. Hoje, o governo federal tem mais de 500 obras em andamento pelo país, mas nós estamos concentrados aqui”. Após a reunião em Monteiro, a comitiva do secretário nacional e os integrantes do Comitê da Crise Hídrica do MPPB fizeram uma visita em Custódia, Pernambuco, onde foram ligadas o bombeamento de água da Elevatória 4 para a Elevatória 5. Em três dias, a água já estará em Sertânia (PE) e no dia 5 de março, na divisa com a Paraíba. No dia 6, as águas do rio entram em Monteiro.

Reconhecimento

No dia 30 de janeiro deste ano, durante evento de prestação de contas à sociedade sobre o término das obras do Projeto de Integração e Transposição das Águas do Rio São Francisco, em Campina Grande, o ministro da Integração Nacional, Hélder Barbalho, já havia reconhecido publicamente o envolvimento e as diligências do Ministério Público da Paraíba no andamento e na conclusão das obras complementares do projeto que viabilizarão a chegada das águas do São Francisco aos paraibanos.

A crise hídrica na Paraíba, mais especificamente na região polarizada por Campina Grande, é um dos temas que têm recebido atenção especial por parte do Ministério Público paraibano. Presidido pelo procurador-geral Bertrand Asfora, o ‘Comitê de Gestão da Crise Hídrica na Paraíba’ foi criado no dia 10 de junho de 2016 e, em um primeiro momento, teve como principal foco o Açude de Boqueirão e o abastecimento de água na região de Campina Grande.

De lá para cá, uma agenda de reuniões de trabalho foi elaborada para a busca de soluções práticas e objetivas. O ‘Comitê’ é composto por instituições governamentais e instituições da sociedade civil. Alguns integrantes foram convidados e outros convocados, de acordo com a legitimidade dada ao Ministério Público, conforme a legislação.

Relacionadas