quinta, 21 de janeiro de 2021

Saúde
Compartilhar:

Vacina contra H1N1 tem que ter duas doses para crianças imunizadas pela 1ª vez

Aline Martins / 10 de junho de 2016
Foto: Nalva Figueiredo/Arquivo
Crianças que foram imunizadas pela primeira vez contra H1N1 devem tomar a segunda dose que já está sendo aplicada em cinco pontos de referência na cidade de João Pessoa. Essas, segundo a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), estão com um agendamento no cartão de vacinação. Dentre os grupos prioritários do Ministério da Saúde estão maiores de seis meses e menores de 5 anos de idade, idosos, gestantes, povos indígenas, puérperas, trabalhadores de saúde e portadores de doenças crônicas. No caso das crianças, estudos científicos mostram que seria importante que todas as crianças fossem imunizadas, mas como não há vacinas para todos houve uma seleção.

A presidente regional Rio de Janeiro da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm), Flávia Bravo, explicou que a gripe é uma das doenças mais frequentes no mundo, sendo responsável por cerca de 500 mil mortes no mundo segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS). “Então não é uma doença que é para ser negligenciada. A própria gripe pode surtar com gravidade em alguns grupos de risco entre os quais estão as crianças. Ela pode complicar com pneumonia – que é a principal causa de morte em idosos e a maioria está relacionada à complicação da gripe, por isso é tão importante as campanhas contra a gripe, que são anuais, para esses grupos de risco”, frisou.

Ainda de acordo com Flávia Bravo, estudos mostram que menores de 9 anos de idade devem receber a segunda dose quando tomam a primeira vez na vida, pois uma só não seria suficiente. Porém, na rede pública, só é oferecido para maiores de seis meses e menores de cinco anos de idade. “Uma dose só não é suficiente para provocar resposta de produção de anticorpos adequada. Nesse primeiro contato com a vacina elas precisam de ter duas doses para poder ter  resposta adequada para ficar bem protegida. Só as crianças que estão no primeiro ano que são vacinadas, nunca vacinaram em anos anteriores, é que precisam de duas doses e é importante por isso”, comentou, mesmo os menores de dois anos de idade que já se imunizaram.  “Se ela [a criança] se vacinou no ano anterior, basta apenas uma dose anual”, pontuou.

O presidente do Departamento de Infectologia da Sociedade Brasileira de Pediatria, Marco Aurélio Palazzi Sáfadi, informou que a organização orienta que crianças dos seis meses aos 8 anos de idade que tomarem pela primeira vez a vacina também recebam a segunda dose. “No caso das crianças que já tomaram anteriormente não é necessário receber a segunda dose. Apenas uma já é suficiente para proteger”, afirmou. Ele disse que é necessário seguir as diretrizes da sociedade Brasileira de Pediatria e do Ministério da Saúde e em caso de dúvidas, consultar as páginas das instituições.

“Estudos demonstram que para crianças menores de 9 anos de idade são necessárias duas doses no primeiro ano que estão sendo vacinadas. O Ministério da Saúde não tem vacina para aplicar em todo o mundo. Então ele elege os critérios – os principais grupos de risco. O ideal, que as sociedades médicas recomendam, é que todas as pessoas a partir dos seis meses de idade sejam vacinadas”Flávia Bravo – presidente regional RJ da SBIm.

Vacina dá resposta imune no organismo

A segunda dose da vacina ajuda o organismo criar uma imunidade. “A questão da segunda dose nas crianças é porque é necessário um novo estímulo, que é vírus atenuado, um novo estímulo para fazer uma resposta imune completa, no caso das crianças pela natureza do sistema imune da criança. No caso do adulto, não é necessário. Efetivamente é importante a segunda dose porque a criança só está imunizada na segunda dose”, explicou a infectologista da Sociedade Brasileira de Infectologista, Joana D’Arc Frade.

A vacina garante proteção contra os três subtipos do vírus da gripe determinados pela Organização Mundial de Saúde (OMS) para este ano (A/H1N1; A/H3N2 e influenza B). A chefe da seção de imunização da SMS Chiara Dantas explicou que a segunda dose é necessária para maior eficácia da vacina. Ela disse que as crianças acima dos cinco anos tomam a vacina se estiverem no grupo com alguma doença (cardiopatia, por exemplo). Ela disse que a segunda dose está sendo aplicada em cinco pontos de referência.

Pontos de Referências para 2ª dose da vacina em crianças:

- Distrito Sanitário I – Unidade de Saúde Integrada de Cruz das Armas

Endereço: Av. Cruz das Armas, s/n

- Distrito Sanitário II – Cais Cristo

Endereço: Rua Olívia de Almeida Guerra, s/n

- Distrito Sanitário III – Cais Mangabeira

Endereço: Rua Romário C. de Morais, s/n – Mangabeira I

- Distrito Sanitário IV – Centro de Saúde de Mandacaru

Endereço: Rua Mascarenhas de Morais, s/n

- Distrito Sanitário V – Centro Municipal de Imunização (antigo lactário da Torre)

Endereço: Av. Rui Barbosa, s/n – Torre

946.103 pessoas é o público-alvo (todos os grupos na Paraíba)

1.012.400 é o total de vacinas entregues para campanha 2016

Relacionadas