segunda, 21 de setembro de 2020

Saúde
Compartilhar:

Tomógrafo quebrado provocou retenção de macas do Samu no Trauma

Redação / 08 de outubro de 2015
Foto: Arquivo
Um tomógrafo com defeito e várias macas do Samu retiradas. De acordo com a assessoria do Hospital de Trauma Senador Humberto Lucena, em João Pessoa, o problema no equipamento foi a razão para que houvesse a retenção das macas do Serviço de Atendimento Móvel.

LEIA MAIS: Macas retidas deixam ambulâncias do Samu paradas

"O que houve foi que na madrugada do domingo, 04/10/2015, o tomógrafo do Hospital de Trauma apresentou defeito, fazendo com que por estratégia da Gestão, visando a assistência integral aos usuários, providenciasse que os exames de tomografia passassem a ser feitos em clínicas particulares próximos do Hospital. Em virtude disso o primeiro atendimento passou a delongar mais tempo que o normal, fazendo com que houvesse o acúmulo das ambulâncias do SAMU, aguardando este primeiro atendimento", diz a resposta do Trauma enviada ao Correio Online.

O defeito do tomógrafo prejudicou, segundo a assessoria, a rotina do hospital e acabou refletindo no serviço do Samu. " Fato esse prejudicou a rotina do Hospital de Trauma em virtude de não haver alternativa na rede SUS para que essas tomografias fossem feitas em algum hospital da rede antes de serem encaminhados ao Hospital de Trauma, não havendo outra alternativa", justificaram.

Ainda conforme a resposta, há um trabalho constante para transformar a unidade de saúde em um local onde não há macas retidas. "Desde fevereiro de 2015 após intenso trabalho da gestão com a presença das próprias Secretarias da Saúde e Executiva da Saúde que não ocorrem intercorrências como essa com o Samu. Houve durante 48 dias consecutivos desde início de janeiro intenso trabalho multidisciplinar no sentido de agilizar atendimentos, cirurgias, altas sem haver a necessidade de aquisição de nenhuma maca a mais. O Hospital de Trauma se tornou um Hospital Maca Livre", argumentaram.

Relacionadas