sábado, 16 de janeiro de 2021

Saúde
Compartilhar:

Surto de caxumba em Campina Grande

Fernanda Figueirêdo / 03 de junho de 2016
Foto: Chico Martins
A Secretaria de Saúde de Campina Grande registrou 32 casos de caxumba, todos em uma escola particular, localizada no Centro da cidade. Os infectados pela doença são de adolescentes e jovens com idade entre 16 e 19 anos. Dois funcionários também contraíram o vírus. Segundo a coordenação de imunização do município, já foi feita a vacinação das pessoas que tiveram contato com os doentes.

A coordenadora de imunização do município, Miralva Cruz, ressaltou que a circulação do vírus não tem relação com falta de vacinas. “O antiviral da doença tem gratuitamente nos postos de saúde, o que estamos investigando, é se as pessoas estão deixando de vacinar seus filhos, já que a doença é controlada há anos e a aplicação da vacina está disponível em duas doses a partir de um ano de idade”, disse. Segundo Miralva, a doença contaminou os alunos em apenas três dias.

Prevenção. Agentes de endemias deverão ir às residências dos alunos infectados e confirmar se eles tinham ou não tomado a vacina.

“O que nós sabemos é que o vírus está circulando na cidade e temos que combatê-lo. Em 2015 tivemos 95% de nossas crianças vacinadas para caxumba. A vigilância epidemiológica vai fazer a investigação pra saber de onde apareceu, se veio de fora. Estive com a gerente de saúde e não há notificação de outras cidades com a doença”, concluiu Miralva.

O que é?

A caxumba tem um período de incubação de duas ou três semanas. A doença provoca o aumento das glândulas salivares próximas aos ouvidos. Nos casos graves, leva a surdez, meningite e, raramente, à morte. Após a puberdade, pode causar inflamação e inchaço doloroso dos testículos nos homens ou dos ovários nas mulheres e levar à esterilidade.

Leia Mais

Relacionadas