terça, 13 de novembro de 2018
Saúde
Compartilhar:

Quase 60% dos casos de cegueira no Brasil poderiam ter sido evitados

Beto Pessoa / 11 de outubro de 2018
Foto: Assuero Lima
Muita gente só busca o oftalmologista quando detecta algum problema na visão. O problema é que, segundo estimativas do Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO), mais de 58% dos casos de cegueira no Brasil poderiam ser evitados ou tratados, caso as pessoas colocassem o profissional da visão nos seus exames de rotina. Este é um dos alertas levantados neste dia 11 de outubro, quando é comemorado o Dia Mundial da Visão.

O ideal é que, a partir dos 30 anos de idade, as pessoas busquem o oftalmologista para um check-up. Um exame simples, como o exame do fundo do olho, por exemplo, pode ajudar no diagnóstico do glaucoma, uma das principais doenças que, silenciosamente, pode causar a cegueira. De acordo com o médico oftalmologista da CBO, Astenio Cesar Fernandes, detectar o problema com antecedência é uma das principais lutas da classe médica, que reconhece as dificuldades de acesso a este tipo de procedimento.

“Do ponto de vista clínico, quando o problema é detectável, é tratado e controlado. O paciente está salvo. Mas do ponto de vista epidemiológico é muito difícil, porque muitos deixam de ir ao consultório buscar o exame. Nem todo mundo pode pagar por uma consulta médica, nem todos têm acesso fácil aos planos de saúde, que são caros, enquanto que o Sistema Único de Saúde (SUS) ainda não dá a assistência necessária a estes pacientes”, disse.

A dificuldade de acesso ao diagnóstico e, consequentemente, ao tratamento, é vista em números. Estimativas da CBO apontam que no Brasil há mais de 1,2 milhão de cegos. Destes, quase 700 mil poderiam estar enxergando, se tivessem recebido tratamento adequado e em tempo hábil. Em todo o mundo, são 253 milhões de pessoas cegas ou com visão comprometida, segundo dados da International Agency for Prevention Of Blindness (IAPB). Destes, 75% evitáveis, caso o tratamento tivesse começado cedo.

As estimativas, destaca o oftalmologista Astenio Cesar Fernandes, justifica a comemoração do Dia Mundial da Visão. “É um dia de alertar sobre a prevenção das doenças oftalmológicas, bem como de falar dos avanços que a oftalmologia tem tido no campo curativo, já que é uma das especialidades que mais evoluíram no tratamento das doenças. O glaucoma, por exemplo, é uma das causas mais graves de cegueira, com percentual de incidência muito grande, mas que, se diagnosticada, pode ser facilmente controlada”.

O que é glaucoma?

É uma doença ocular capaz de causar cegueira se não for tratada a tempo, pois 80% dos glaucomas não apresentam sintomas no início da doença. É uma doença crônica que não tem cura, mas, na maioria dos casos pode ser controlada com tratamento adequado e contínuo. Quanto mais precoce for o diagnóstico, maiores serão as chances de se evitar a perda da visão.

Como diagnosticar?

Você deve consultar seu oftalmologista regularmente. Durante a consulta, ele fará ou solicitará diversos exames que poderão diagnosticar o glaucoma, tais como: exame do fundo do olho, medida da pressão intraocular e exame de campo visual.

Quem pode ter?

Qualquer um pode ter glaucoma, mas é mais comum em negros, em parentes de portadores de glaucoma, idosos, portadores de alta miopia, usuários crônicos de colírios com corticóides e diabéticos de forma discutível.

Tem cura?

O glaucoma não tem cura, mas tem controle. Por isso a importância do rígido cumprimento do tratamento.

Relacionadas